Foto - ANAC/Divulgação

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) mudará, em breve, a sua unidade no Rio de Janeiro, localizada atualmente no edifício Torre Boavista, para instalações dentro do Palácio da Fazenda, no centro da cidade.

O deslocamento é uma nova etapa dos programas Unifica e Racionaliza, do Governo Federal, para a otimização e redução dos custos orçamentários. A mudança predial vai gerar uma economia mensal estimada de R$500 mil, totalizando R$30 milhões em cinco anos, tempo de duração de um contrato de locação.

Com o fim da vigência do contrato atual, a ANAC abriu duas frentes para escolher novas instalações: iniciou um Processo de Chamamento Público para Prospecção do Mercado Imobiliário e a busca pelo Compartilhamento de Imóvel Público, que resultou na possibilidade de compartilhar espaço com o Ministério da Economia, no Palácio da Fazenda. O prédio tem localização próxima a duas estações de metrô, Estação de Barcas Praça XV e Aeroporto Santos Dumont.

Os novos espaços devem passar por intervenções nas instalações elétricas, de lógica, de climatização, hidrossanitárias e de arquitetura.

O projeto de transferência, que inclui as obras necessárias e o transporte de equipamentos, deve custar cerca de R$ 6,68 milhões, que serão pagos em aproximadamente 13 meses, com a economia gerada. A mudança para o Palácio da Fazenda está prevista para o primeiro semestre de 2022.

Atualmente, além da unidade do Rio de Janeiro, também estão em vigor procedimentos e negociações para transferência das instalações do Núcleo Regional de Aviação Civil (NURAC) de Curitiba, que deverá ser anunciada ainda este ano.

 

Otimização e compartilhamento de espaços

Essa não é a primeira vez que a ANAC adota o modelo de compartilhamento de espaços. Desde 2019, a Agência vem realizando readequações em outras localidades. A primeira experiência foi com o NURAC de Belo Horizonte, que passou a dividir as instalações com o Banco Central do Brasil. No ano seguinte, em 2020, a unidade da Agência em Porto Alegre passou a ocupar o 11º andar do prédio do Ministério da Economia na cidade.

Também em 2020 foi concluída a mudança da unidade da ANAC em São José dos Campos para a Torre B do Centro Empresarial Aquarius by Helbor. As novas instalações resultarão em uma economia superior a R$ 9 milhões ao longo de cinco anos (prazo de vigência do novo contrato).