Foto - Dubai Airports

A aeronave ucraniana Antonov An-225 ‘Mriya’ completa nesta sexta-feira (21/12) trinta anos desde o primeiro voo, na época da então União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

O desenvolvimento da aeronave levou apenas três anos e meio, de acordo com Antonov, e mesmo com essa rapidez no projeto, a aeronave realizou um voo com o Buran só após o mesmo ser lançado pelo foguete Energia.

Vale ressaltar que na época a União Soviética não declarou o tamanho total da aeronave, e manteve isso como um segredo. Posteriormente a aeronave foi exposta no Paris Air Show (Le Bourget) e no Farnborough Airshow, antes da dissolução da URSS.

An-225 transportando o Buran durante um show aéreo no Le Bourget.

O Antonov An-225 foi desenvolvido especificamente para o transporte do ônibus espacial Buran, a ideia dos engenheiros era modificar o projeto e design do An-124 para obter uma maior envergadura (asa) e comprimento, possibilitando carregar na parte superior do avião a espaçonave.

Essa aeronave é a única no mundo, e tem 84 metros de comprimento com aproximadamente 88 metros de envergadura e pesa 285 toneladas, sem carga ou combustível.

Com o aumento do tamanho a aeronave também teve um considerável aumento de peso, e do tamanho das cargas que pode transportar, com isso recebeu a propulsão de seis motores Ivchenko-Progress D-18, dois a mais do que no An-124, cada motor fornece um empuxo de 51500 lbf.

Outra modificação do Antonov An-225 foi a cauda traseira, que ganhou uma derivação de duplo estabilizador vertical, visto que o Buran na parte superior da aeronave atrapalharia o fluxo de ar no estabilizador vertical.

O An-225 também tem um guindaste interno, capaz de içar carga para o fundo da fuselagem, além de uma porta no nariz. O An-225 tem 32 rodas e pneus, incluindo 14 em cada conjunto do trem de pouso principal.

Sua tripulação é bastante numerosa, são cerca de seis tripulantes trabalhando ao mesmo tempo no cockpit, e 17 no total para cada voo. O projeto é derivado do An-124, que 

Em 1991, com a dissolução da União Soviética, e o encerramento oficial do programa do Ônibus Espacial Buran, o Antonov An-225 foi deixado de lado durante anos, até que em 1994 um programa de restauração da aeronave colocaria a mesma em voo novamente, a missão agora era transportar cargas de alto peso, até 250 toneladas, e de dimensões que nenhum outro avião no mundo teria capacidade.

A restauração permitiu que o An-225 voasse novamente em 07 de maio de 2001, e entrasse em serviço comercial semanas depois.

O Antonov An-225 pode decolar com até 650 toneladas a bordo, contabilizando a carga, peso da aeronave e combustível. O recorde foi o transporte de 253,8 toneladas em uma altitude de 10570 metros (34700 pés).

A aeronave já visitou o Brasil várias vezes, a última foi em 14 de novembro de 2016, transportando um gerador 155 toneladas até o Chile.

Em 2010 o Mriya pousou em Guarulhos com uma carga de grande porte para a Petrobrás, o trabalho de descarregamento da aeronave demorou cerca de 12 horas, devido ao tamanho da carga e ao peso.