Foto - Dubai Airports

A Antonov iniciou as negociações com a Boeing para um contrato de fornecimento de peças, com finalidade de retomar a produção em série de aeronaves a partir do final de 2019. O primeiro contrato foi assinado no Farnborough Airshow, que foi realizado neste mês no Reino Unido.

Essa é uma tentativa da empresa de entrar novamente no mercado de aviação, depois que um encerramento do acordo diplomático entre a Ucrânia e a Rússia obrigou a diminuição da produção de aeronaves, chegando ao encerramento anos depois. Sem a Boeing a Antonov compra 60% das peças para as suas aeronaves diretamente de fabricantes da Rússia.

Os clientes de Antonov costumavam ser a Rússia, as antigas repúblicas soviéticas e os países africanos, que aproveitavam do menor custo dos aviões da Antonov, em relação aos modelos vendidos pelas empresas do ocidente.

Antonov An-178, nova aposta da ucraniana no mercado militar e cargueiro.

Para isso a Aviall, uma subsidiária da Boeing, planeja finalizar ainda neste ano um local para armazenamento de peças de reposição, na Ucrânia. A parceria com a Antonov permitirá fornecer peças para a montagem dos jatos An-148/158/178.

Além disso o contrato prevê que a Aviall instale equipamentos e materiais para produzir as peças utilizadas pela empresa na Ucrânia, como forma de facilitar a logística e intercâmbio de informações.

Em contrapartida a Antonov precisa criar uma base de manutenção para os seus aviões e da Boeing na Ucrânia. 

A previsão é produzir oito aviões por ano com esse auxílio da Boeing, pouco, mas suficiente para a empresa tentar se fortalecer novamente. Podemos esperar as primeiras entregas para o final de 2019.

No cenário internacional a Antonov se destaca sempre, ao ser lembrada pela produção de aviões cargueiros, como o An-124 e o An-225 (foto acima), este último é o maior avião do mundo em atividade, e pode levar cargas com mais de 160 toneladas a bordo.