Ao Vivo: SpaceX se aproxima do primeiro voo espacial tripulado dos EUA desde 2011

O famoso Space Shuttle foi um marco tecnológico dos Estados Unidos, apesar das sua diversas vantagens e desvantagens, uma delas o preço de cada lançamento, que levou a NASA ao retorno do método antigo.

O último lançamento de um Space Shuttle ocorreu em 2011, quando o Atlantis subiu pela última vez ao espaço, marcando a missão STS-135, a última de 135 missões com o Space Shuttle, infelizmente duas com falhas que levaram à fatalidades.

A NASA então estava na mão dos russos, um terror que os EUA não poderiam pensar no início do século.

Na época o futuro espacial dos Estados Unidos parecia algo sombrio, com poucas expectativas de criar um lançador reutilizável e barato, visto que o principal foguete na época, da ULA, era descartado após o lançamento, e o programa SLS não previa um foguete reutilizável (fora ter um lançamento extremamente caro para missões à ISS).

Space Shuttle com seus 2 boosters em funcionamento.

Pouco tempo depois a SpaceX, de Elon Musk, surgiu como uma opção mais barata de lançamento, e após firmar um contrato com a NASA, a empresa de Elon Musk começou a transportar cargas para a Estação Espacial Internacional (ISS), com sua cápsula Dragon Cargo.

Desde então a SpaceX utilizou seu know how, que ainda estava sendo construído, para treinar, e treinar, e treinar mais ainda, diversos métodos de lançamento e recuperação dos estágios de um foguete.

Em uma típica missão com cápsulas, a SpaceX atualmente só não recupera o 2º estágio do foguete Falcon 9, mas o imenso primeiro estágio pousa inteiro no mar ou em terra, e a cápsula recorre ao método tradicional de recuperação no oceano. Cerca de 90% da estrutura é recuperada neste caso.


E após várias missões recuperando foguetes, e outras várias (poucas) levando cargas pesadas com a Falcon Heavy, a SpaceX finalmente se encaminha agora para entrar na história da exploração espacial dos Estados Unidos, ao levar os primeiros astronautas ao espaço depois do Space Shuttle, em uma missão que deixou de ser totalmente gerenciada pela NASA, que agora se apoia na nova iniciativa privada para reduzir seus custos.

Como é tradição da SpaceX, a missão será transmitida ao vivo amanhã (27/05), nos canais da empresa e da NASA no Youtube, você poderá acompanhar tudo pelo vídeo abaixo.

Os astronautas Robert Behnken e Douglas Hurley, da NASA, serão responsáveis por essa histórica missão com o foguete Falcon 9, que terá acompanhamento mútuo entre a NASA e a SpaceX.

Como os mais apressados já perceberam, esta é a TV da NASA, mas a mesma também vai transmitir oficialmente o lançamento, inclusive com um período especial para uma transmissão sobre a exploração espacial, e os preparativos para a missão.

A agência marcou o lançamento para ocorrer às 17h33, porém a transmissão especial começa às 13h15. Vale ressaltar que esses horários são com base em Brasília, se você está em outro fuso horário precisará ajustar o horário para uma melhor referência.

Para aqueles que gostam da transmissão da SpaceX, ela também vai iniciar 4 horas antes do lançamento, e você pode acompanhar pelo Site da SpaceX, ou pelo vídeo abaixo.

Passo a passo do lançamento, com a recuperação do primeiro estágio.

O grande destaque da cápsula Dragon Crew é manter um cronograma de desenvolvimento mais “adiantado” em relação à CST-100 da Boeing, pela metade do preço. Isso antecipa o cronograma da NASA, de forma que tenha uma menor dependência da Rússia no lançamento de astronautas.

Procedimentos até acoplar na Estação Espacial.

Em preparação para a Demo-2, a SpaceX completou vários marcos importantes para o Programa de Tripulação Comercial da NASA.

Em março de 2019, a SpaceX concluiu a primeira missão de demonstração da Dragon Crew para a Estação Espacial Internacional, um voo de teste de ponta a ponta da Crew Dragon sem os astronautas da NASA a bordo, tornando a Dragon a primeira espaçonave americana a atracar autonomamente com a Estação Espacial Internacional e retornar com segurança à Terra.

Em janeiro, a SpaceX concluiu com êxito um teste em voo dos recursos de escape da cápsula Dragon. Este teste, que não tinha astronautas da NASA a bordo da espaçonave, demonstrou a capacidade da Dragon Crew de transportar com segurança a tripulação em segurança no improvável evento de uma emergência em subida.

 

DEIXE UMA RESPOSTA