Azul Embraer E195-E2
Foto: Pedro Viana/Aeroflap

A Azul Linhas Aéreas realizou hoje (06) o “Azul Day”, um evento especial com investidores da companhia aérea, moderado pela Bovespa. Os executivos da aérea aproveitaram o momento para atualizar o mercado sobre a situação da companhia, e também sobre seu planejamento para o futuro.

No documento, a Azul relatou aos investidores que atualmente, no pós-pandemia, atende cerca de 130 destinos no Brasil e Internacionais. São mais de 900 decolagens diárias de aeronaves da empresa, que vão desde o pequeno Cessna Grand Caravan até o Airbus A330-900neo.

Ressaltando a malha flexível como uma vantagem, como sempre, a aérea também divulgou bons planos para o futuro.

No documento aos investidores, a Azul confirmou que retomará as entregas do Embraer E195-E2 no próximo ano. Atualmente a companhia tem 9 aviões E195-E2 na sua frota, e deve finalizar 2022 com 15 aviões deste modelo.

Durante a pandemia a Azul postergou as entregas do E195-E2 para a partir de 2024. Ao todo são 75 encomendas para o avião da fabricante brasileira.

Acompanhando a entrega de novos aviões, a frota da Azul de aviões E-Jets de Primeira Geração deve retrair de 49 para 42 aeronaves em 2022, e para 31 aviões ao final de 2023.

Em 2022 a companhia também deverá receber 4 novos aviões da família A320neo, finalizando o ano com 53 aviões A320/A321neo na frota.

Já na frota de turboélices, a companhia relatou que receberá três aviões ATR 72-600 ainda em 2021, terminando o ano com 36 aeronaves deste modelo na frota. Uma aeronave ATR 72-600 será retirada em 2023, quando também receberá mais dois E195-E2 e quatro aviões da família A320neo.

A companhia apontou que em 2016 tinha um consumo de 38,5 litros de combustível por Assentos‐Quilômetros Oferecidos (ASK). Com a modernização da frota, atualmente a companhia tem um consumo de 31,2 litros por ASK.

Além da maior economia de combustível, os aviões de nova geração como o Embraer E195-E2 e o Airbus A320neo possibilitam um aumento da capacidade de carga em volume no porão, na ordem de 63% e 211%, respectivamente, em comparação com o E195-E1.

 

DEIXE UMA RESPOSTA