Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

Helicóptero Mil Mi-35M, designado AH-2 Sabre pela FAB, é operado exclusivamente pelo Esquadrão Poti. Foto: Sargento Bruno Batista/FAB.

Nesta quinta-feira (15), a Força Aérea Brasileira celebra o aniversário de 48 anos do 2º Esquadrão do 8º Grupo de Aviação, o Esquadrão Poti. A unidade tem como sede a Ala 6, Base Aérea de Porto Velho (RO), e é mais reconhecida por operar e manter os helicópteros de ataque e transporte Mil Mi-35M Hind, designados AH-2 Sabre pela FAB. 

O 2º/8º GAv tem suas origens no 2º Esquadrão Misto de Reconhecimento e Ataque (2º EMRA), também chamado de Poti e inicialmente sediado na antiga Base Aérea de Recife, operando com aeronaves North American T-6 Texan, Bell Jet Ranger e Neiva Regente. Mais tarde o esquadrão operou o T-25 Universal, UH-1 Huey e o U-7A Sêneca.

Em 09 de setembro de 1980, o 2º EMRA foi renomeado 2º/8º GAv e em 1987 a unidade recebeu os helicópteros Helibras UH-50 Esquilo, aeronave empregada em missões de transporte, busca e salvamento, ataque ao solo – com foguetes de 70mm e metralhadoras calibre 7,62x51mm ou .50 BMG – e demais operações. A unidade também realizava missões de combate ao narcotráfico, apoiando agentes do Departamento de Polícia Federal.

H-50 Esquilo do Esquadrão Falcão. Foto: Cabo Silva Lopes/FAB.

Em outubro de 2008 o Comando da Aeronáutica adquiriu 12 helicópteros Mil Mi-35M Hind da Rússia. Escolhido para empregar “as novas máquinas”, o Poti foi transferido de Recife para a Base Aérea de Porto Velho em dezembro de 2009, onde segue baseado até os dias de hoje, operando ao lado dos A-29A/B Super Tucano do Esquadrão Grifo (2º/3º GAv).

No dia 16 de dezembro de 2009, os três primeiros AH-2 Sabre chegaram ao Brasil a bordo de um cargueiro Antonov An-124 da Volga-Dnepr, sendo oficialmente incorporados à FAB em uma cerimônia realizada em abril de 2010. As aeronaves restantes foram entregues em outubro de 2010, agosto de 2012 e novembro de 2014. 

Helicópteros AH-2 Sabre e H-60L Black Hawk no pátio da ALA 5.

Desenvolvido a partir do Mil Mi-24 da antiga União Soviética, o Mil Mi-35 é a única aeronave de origem russa servindo às forças armadas brasileiras e o único helicóptero puramente de ataque do país, sendo empregados pelo Esquadrão Poti em missões de suporte aéreo, busca e resgate, interceptação de aeronaves ilícitas, patrulha de fronteiras, dentre outras.

O AH-2 Sabre disparando foguetes S-8 de 80mm. Foto: Cabo V. Santos/FAB.

Reconhecido por sua robustez (sua blindagem pode resistir disparos de calibre 20mm) e desenho agressivo, o AH-2 Sabre é equipado com um canhão GSh-23L de cano duplo, calibre 23mm, montado em uma torre móvel na seção frontal, e pode usar 40 foguetes S-8 de 80mm e 16 mísseis antitanque 9M120 Ataka. Para autodefesa, a aeronave possui lançadores de chaffs e flares, além de supressores de calor, telêmetros, sensores térmicos e de TV. Outra característica é a capacidade de transportar oito soldados totalmente equipados ou 1500kg de carga no compartimento interno.

 

Foto: Sgt. Guto/FAB.

Veja mais: conheça os helicópteros usados pela Força Aérea Brasileira

DEIXE UMA RESPOSTA