Capitão Força Aérea Brasileira
Foto: FAB

Após 75 anos de dedicação à Força Aérea Brasileira (FAB), despediu-se, nesta quinta-feira (02/06), do convívio diário do Gabinete do Comandante da Aeronáutica (GABAER), o Capitão Reformado do Quadro de Administração Arnaldo Jorge.

A cerimônia de despedida, que aconteceu no Espaço Força Aérea, em Brasília (DF), foi presidida pelo Comandante da Força Aérea Brasileira, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior e contou com a presença de Oficiais-Generais do Alto-Comando, além de demais militares das Organizações Militares do Comando da Aeronáutica (COMAER).

Aos 93 anos de idade, o Oficial atuou por 57 anos na Assessoria de Recursos Humanos (GC1) do GABAER. Na cerimônia, estavam presentes familiares do Capitão, além dos militares que integravam a seção, os quais despediram-se agradecendo pela oportunidade de atuarem juntos, além dos desejos de saúde e sucesso.

Durante o discurso, o Comandante da FAB destacou os atributos pessoais do Capitão, como humildade, discrição, generosidade e pro-atividade para o cumprimento das demandas.

“Arnaldo, vamos sentir muito sua falta, mas não sua ausência, porque você está dentro de cada um de nós. Essa será sempre a sua casa, que construiu durante 75 anos e veio para Brasília ainda com barro, acompanhar o Ministro Eduardo Gomes.”

“Muito obrigado e, não tem como, além da emoção, agradecer por tudo que fez, por todas as pessoas que ajudou, por todos os processos que foram bem instruídos com sua experiência, seu conhecimento e sua simplicidade. Que seja feliz junto a sua família, por essas próximas páginas da sua vida”, disse o Oficial-General.

Amigo de caserna, o Capitão José Vellozo de Carvalho comentou sobre a despedida. “Uma figura ímpar, singela, amigo e leal. É um privilégio conviver com ele, pois está sempre pronto, com sua amizade para ajudar quem precisa com suas informações e orientações. Uma coisa boa poder ter convivido com ele e, por isso vim aqui, cheio de alegria e felicidade, abraçar meu amigo nesse dia”, acrescenta.

Para o Capitão, o dia foi de emoção. “É um momento especial por ter passado todo esse período na Força Aérea Brasileira sem perceber que o trabalho absorvia todo o meu tempo. Foi uma satisfação imensa estar aqui e resolver os problemas que se apresentavam.”

“Sempre atuei no Gabinete e exerci várias funções, mas a principal foi na Assessoria de Pessoal onde acumulei cargos como Chefe da garagem, da Secretaria e da Assessoria Jurídica. De fato, nunca tirei o pé da GC1. Acho que cumpri a missão e melhor sair assim, com esta homenagem e com o coração preparado para novas atividades, do que com a bandeira do Brasil por cima”, afirma o Oficial.

Trajetória militar do Capitão Arnaldo

Foto: FAB

A trajetória profissional do Capitão Arnaldo se confunde com a própria história da FAB. Após seis anos de existência, a FAB recebeu, aos 17 anos, o jovem Arnaldo no lendário Campos dos Afonsos, no Rio de Janeiros (RJ), quando iniciava sua vida militar.

Durante o período em que permaneceu na ativa foi Soldado, Cabo e concluiu em 1957 o Curso de Sargentos Escreventes da Aeronáutica, na Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).

O militar ingressou no Quadro de Administração do Corpo de Oficiais da Aeronáutica, quando em 1964 foi declarado Aspirante a Oficial pela antiga Escola de Oficiais Especialistas e de Infantaria de Guarda, sediada em Curitiba (PR).

Foi em 1965 que o então Tenente Arnaldo apresentou-se no Gabinete do Ministro da Aeronáutica, ainda com sede no Rio de Janeiro. Ele cumpriu a relevante tarefa de ser Assistente do Marechal do Ar Eduardo Gomes, que passou a ser Patrono da FAB.

A sede do Ministério da Aeronáutica foi transferida para Brasília, em 1970, quando o então Capitão Arnaldo também passou a atuar na capital federal. Além da carreira militar, o Oficial preocupou-se em acumular conhecimento no meio civil quando formou-se no curso superior em Direito e Administração de Empresas.

 

 

Com informações da Força Aérea Brasileira (FAB).