Investigador indonésio trabalhando observa destroços do 737-500 da Sriwijaya Air. Foto: Tatan Syuflana/Associated Press.

(Reuters) – A Boeing enviou um boletim técnico às companhias aéreas lembrando-as de garantir que os pilotos monitorem de perto o estado do avião e a trajetória de voo para evitar a perda de controle, de acordo com um documento visto pela Reuters.

O boletim foi enviado na segunda-feira (15), logo depois que a Indonésia divulgou um relatório preliminar sobre o acidente com o 737-500 da Sriwijaya Air, no dia 09 de janeiro. Todas as 62 pessoas a bordo faleceram. 

Apesar de não ter sido explicitamente vinculado a esse acidente, cobrindo todos os modelos modernos da Boeing, o relatório aborda uma das áreas potenciais de interesse para os investigadores após o acidente, enquanto se aguarda a descoberta da unidade de memória do gravador de voz da cabine.

“A consciência contínua da tripulação sobre a atitude do avião, velocidade, posição de controle de voo e configurações de empuxo é fundamental para a prevenção de perturbações do avião e pode reduzir o efeito de sobressalto ou surpresa causado por mudanças inesperadas rápidas”, disse o boletim.

Os fabricantes emitem tais lembretes periodicamente e a Boeing afirma que se comunica regularmente com os clientes sobre como eles podem operar seus aviões com segurança e confiança.

“Em estreita coordenação com as autoridades investigativas e regulatórias, essas últimas comunicações reforçam a importância da orientação e dos materiais de treinamento em toda a indústria e da Boeing na prevenção e recuperação de incidentes” 
 

A Boeing, que foi criticada por culpar os pilotos pelo acidente do 737 MAX em 2018 na Indonésia, posteriormente relacionado a um sistema defeituoso, não emitiu nenhum comentário sobre as causas do acidente em Sriwijaya.

De acordo com uma análise de segurança de toda a indústria emitida pela Airbus no ano passado, a perda de controle em voo representa a maior categoria – ou 33% – de todos os acidentes desde o início da era do jato.


Especialistas em segurança alertam que é muito cedo para dizer o que causou a queda do 737 da Sriwijaya. A maioria dos acidentes é causada por uma cadeia de fatores distintos.

Acidente Indonésia Sriwijaya Air Boeing 737
Foto: JetPhotos – Panji Anggero

O relatório preliminar de Sriwijaya descobriu que o avião tinha uma assimetria no empuxo do motor que acabou levando-o a uma curva acentuada e, em seguida, a um mergulho. 

Quando o avião atingiu 8.150 pés (2.484 m) após a decolagem, a manete do motor esquerdo moveu-se para trás enquanto a manete direita permaneceu em sua posição original.

Um dos pilotos estava falando com o controle de tráfego aéreo e não há evidências no relatório de que eles notaram uma diferença no empuxo.

A cerca de 10.900 pés, o piloto automático desligou e o avião girou para a esquerda mais de 45 graus e começou seu mergulho, caindo cerca de 25 segundos depois, segundo o relatório.