Foto: Matt Haskell - Starfighters Aerospace

A empresa estadunidense Starfighters Aerospace colocou um de seus TF-104G-M Starfighter, apelidado de Black Beauty, de volta aos ares na última terça-feira (26). O caça pertenceu a Força Aérea Italiana (AMI), onde serviu por mais de 30 anos com a matrícula MM54258, operando no 20° Gruppo, unidade de conversão operacional do modelo.

Sediada no Kennedy Space Center da NASA e operando sob autorização da Federal Aviation Administration, a Starfighters Aerospace é uma empresa que realiza uma variedade de missões para clientes governamentais e comerciais.

Foto: Matt Haskell – Starfighters Aerospace

A companhia opera a única frota mundial de jatos F-104 Starfighter prontos para voar. Atualmente, a Starfighters possui quatro caças em condições ​​de voo uma frota planejada de sete.

Cinco F-104 da Força Aérea Italiana foram adquiridos pela empresa depois de terem sido retirados do serviço operacional em 2004 (com um último voo em julho de 2005), incluindo três treinadores TF-104G-M de dois lugares. O MM54258 é um desses três, e agora o caça tem a matrícula N991SF. 

Foto: Matt Haskell – Starfighters Aerospace

O N991SF recebeu uma pintura preta (dando origem ao apelido Black Beauty) e o logo da KANON Loading Equipment, uma patrocinadora da Starfighters. Em 26 de janeiro o TF-104 decolou novamente, pilotado pelo fundador da Starfighters Aerospace, Rick “Boss” Svetkoff.

No dia seguinte (27) o Black Beauty fez mais um voo, dessa vez sob os comandos de Piercarlo Ciacchi, Diretor de Operações de Voo da Starfighters e ex-piloto de F-104 da Força Aérea Italiana.

Foto: Matt Haskell – Starfighters Aerospace

“Fiquei extremamente surpreso com o desempenho do avião depois de tanto tempo no solo. A aeronave era muito reativa, precisa em seus controles e ainda assim incrivelmente rápida. O Starfighter ainda é um avião incrível depois de tantos anos!”, Comentou Ciacchi ao Warbird Digest


Apesar da idade (o F-104 fez seu primeiro voo em 1954), o avião ainda pode desempenhar várias tarefas aos clientes. O caça pode ser empregado em experimentos de microgravidade, teste e qualificação de aviônicos e equipamentos de voo, simulação de voo suborbital, lançamento de microssatélites, dentre outros. 

Via The Aviationist