Assembleia Geral Anual da IATA solicita reabertura das fronteiras com teste para COVID-19 e sem quarentena

Foto: Gru Airport

A 76ª Assembleia Geral Anual da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA – International Air Transport Association) decidiu por unanimidade pedir aos governos que reabram com urgência as fronteiras para viagens.

A IATA propõe testes sistemáticos dos viajantes internacionais, o que permitiria a suspensão das restrições nas fronteiras e forneceria uma alternativa às atuais medidas de quarentena.

A quarentena basicamente elimina a demanda por viagens aéreas e os governos precisam considerar, imediatamente, os efeitos socioeconômicos drásticos causados por ela. As viagens aéreas internacionais continuam apresentando queda de 90% em relação aos níveis de 2019.

Estimativas atuais indicam que até 46 milhões de empregos mantidos pelas viagens aéreas podem desaparecer e que a atividade econômica sustentada pela aviação será reduzida em US$ 1,8 trilhão.

“As pessoas querem e precisam de mobilidade global. As medidas publicadas no documento Take-off da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI) tornam os voos seguros. Mas o fechamento de fronteiras, as restrições de movimento e as medidas de quarentena tornam as viagens impossíveis para a maioria das pessoas. Devemos gerenciar a forma como convivemos com o vírus.”

“Mas isso não significa necessariamente destruir a aviação, arriscando milhões de empregos, prejudicando economias e rompendo o tecido social internacional. Poderíamos abrir as fronteiras com segurança hoje com testes sistemáticos de COVID-19”, disse Alexandre de Juniac, diretor geral e CEO da IATA.

Em sua resolução, a Assembleia Geral Anual da IATA também:


• Reafirma o compromisso contínuo do setor com a implementação de protocolos de biossegurança acordados globalmente,

• Incentiva os governos a implementar as orientações desenvolvidas pela OACI,

• Solicita aos governos que garantam prioridade de vacinação contra a COVID-19 para o pessoal da aviação e viajantes internacionais assim que forem disponibilizados tratamentos seguros e eficazes tão logo os profissionais de saúde e grupos vulneráveis estiverem protegidos.

A Assembleia Geral Anual também reforçou o papel fundamental do transporte aéreo na facilitação da resposta global à pandemia, incluindo a distribuição adequada de medicamentos, kits de teste, equipamentos de proteção e, por fim, das vacinas em todo o mundo.

 

Via: IATA

DEIXE UMA RESPOSTA