Asta acredita na sinergia entre as empresas para a retomada da economia

Com a crise mundial causada pela pandemia, todos os setores se viram obrigados a inovar para minimizar os impactos. Para o CEO da Asta, Adalberto Bogsan, essa fase de recuperação gradual da economia, prevista para os próximos meses, já está exigindo uma colaboração mútua das empresas.

“Sinergia é a palavra do momento. Durante esse período, o principal objetivo não será o lucro, mas a reciprocidade entre os parceiros em busca de um equilíbrio financeiro, para uma retomada sustentável.”

A Asta concentra suas atividades em Mato Grosso, com voos regionais partindo da capital Cuiabá para o interior do Estado. De acordo com Bogsan, os negócios devem apresentar sinais mais claros de retomada em torno de seis meses.

“As mudanças de hábito em várias áreas, como o trabalho home office e as videoconferências, ainda vão refletir no setor aéreo, pois muitos profissionais levarão mais tempo para voltar a voar, como prevenção à Covid-19. O estado é forte no agronegócio, mas também tem como grande atrativo a pesca, recebendo muitos turistas, anualmente. O brasileiro é bastante sociável e, depois de tanto tempo sem viajar, acreditamos que esse segmento se recupere mais rapidamente do que os outros, mesmo de forma gradativa.”

O executivo ainda destaca que, no setor aéreo, será necessário que os envolvidos nas operações trabalhem com políticas de preços e prazos atrativos, tanto entre empresas e fornecedores como para o cliente final.

“Assim como oferecemos condições especiais para que os passageiros voltem a voar com mais frequência, a fornecedora de combustível, por exemplo, precisa ter mais flexibilidade para os pagamentos. Este é o momento de buscar e consolidar parcerias.”

 

Inovação nos serviços

Repensar o modo de trabalhar e enxergar novas possibilidades foi a premissa da Asta em busca de sustentabilidade para os negócios, durante a pandemia.


“Fizemos algumas mudanças e focamos no transporte de carga de baixo volume e alto valor agregado, como produtos farmacêuticos, testes e amostras para análises laboratoriais, além de eletrônicos. Foi preciso uma adaptação às novas normativas para atender essa demanda, mas encontramos uma solução para minimizar os impactos da crise”, explica Bogsan.

Outro serviço oferecido pela companhia é o fretamento para passageiros, a fim de atender os clientes que buscam mais comodidade e segurança com um voo particular. Como próximos passos, a Asta estuda a expansão para os estados de Tocantins, Goiás e Mato Grosso do Sul, em suas operações de voos regionais.

Como medidas de contenção à Covid-19, a Asta destaca que reforçou seus procedimentos de segurança, de acordo com os protocolos recomendados pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e determinações dos governos federal e estadual:

*Disponibiliza álcool em gel nas aeronaves;
*Os colaboradores passaram a utilizar itens de proteção;
*Orienta sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras pelos passageiros;
*Adotou medidas especiais de higienização das aeronaves;
*Como as aeronaves da Asta não são pressurizadas, o ar é trocado continuamente;
*Em caso de dúvidas sobre a Covid-19, a empresa recomenda a consulta apenas de sites oficiais governamentais ou de autoridades sanitárias.

 

DEIXE UMA RESPOSTA