Boeing 747 Atlas Air Cargo EUA

A Atlas Air foi uma das poucas empresas aéreas no mundo que conseguiu gerar lucro no ano de 2020. No pior ano da história da aviação, a empresa que opera no transporte de passageiros fretado e também no ramo de cargas conseguiu reverter o prejuízo gerado em 2019.

O Grupo formado pelas empresas Polar Air, Atlas Air e Southern Air registrou lucro de US$ 3,2 bilhões resultando em um aumento de 16% sobre o ano de 2019. O ano de 2020 apesar de ter sido impulsionado pela demanda de cargas, teve uma desaceleração por parte da oferta no transporte de cargas.

Pois diversas empresas não possuem aeronaves próprias para o transporte de cargas, sendo utilizado o porão dos aviões de passageiros. 

“Também continuamos a diversificar nossa base de clientes e firmamos diversos contratos de fretamento de longo prazo com clientes estratégicos, como Cainiao, Flexport e HP. Esses acordos fornecerão fontes de receita confiáveis ​​e atraentes para os próximos anos”. Disse John Dietrich, presidente-executivo da Atlas Air.

Com a procura em alta e a disponibilidade mais baixa, a Atlas realizou o transporte de grandes volumes e operou mais voos para conseguir suprir tamanha demanda. Durante todo o ano de 2020 a Atlas Air teve um aumento de 42% na receita com voos fretados, com os dados comparados ao ano de 2019.

A empresa afirmou que tem contratos para voos fretados até pelo menos o ano de 2023. A Atlas Air tem feito voos para a Amazon e isso fez com que se tornasse uma grande aliada para a companhia com sede em New York. 

Nos últimos meses, a Amazon comprou 9% de participação na Atlas Air Worldwide Holdings. Com a nova participação, a Atlas tem a Amazon como uma das principais fontes de receitas. 


Como 2020 foi um ano desafiador para o mundo todo, a empresa decidiu pagar um adicional a todos os pilotos que voarem para locais com alta periculosidade de contagio da Covid-19. 

Foi uma das formas de evitar mais um problema com os pilotos da empresa, que desde a fusão entre a Atlas e a Southern Air em 2016 enfrentam problemas com relação aos salários e escalas. 

 “As negociações formais com o sindicato dos pilotos foram recentemente concluídas e estamos avançando para a arbitragem de juros vinculantes sobre as questões pendentes restantes que deverá se iniciar em março”. Disse a Atlas Air.