Aviação brasileira retoma aos níveis de 2007, em ano afetado pela crise da pandemia

O setor aéreo brasileiro tem diminuído as perdas nos principais indicadores após forte retração provocada pela pandemia do novo coronavírus.

No mês de outubro, embora tenha ocorrido redução de 44% na demanda e 41% na oferta em comparação com mesmo período de 2019, os dados apontam aumento no número de voos e de passageiros transportados em relação aos meses anteriores.

De acordo com a ANAC, no Mercado Doméstico de aviação do Brasil as empresas aéreas transportaram 4 milhões de passageiros somente em outubro. Até o momento, considerando o acumulado de 2020, as companhias aéreas já transportaram 37,8 milhões de passageiros, ante 96 milhões em todo o período de 2019.

Com isso, o Brasil corre risco de, apesar da boa retomada das operações, voltar ao mesmo nível de 2007, quando comparamos os assentos ocupados por passageiros. 

A GOL continuou liderando o mercado, com 39,2% de marketshare, enquanto a LATAM segue na 2ª colocação, com a Azul dividindo quase a mesma participação.

Em relação ao mês de setembro, em outubro a demanda cresceu quase 11%, com as companhias aéreas operando uma média de 700 a 850 voos diários.

Por outro lado, a recuperação do mercado internacional tem acontecido de forma mais lenta, por causa das restrições de acesso em diversos países.


 

DEIXE UMA RESPOSTA