A aviação comercial brasileira voltou ao patamar de cerca de 100 milhões de passageiros transportados por ano no acumulado de 12 meses encerrado em junho. Essa marca havia sido alcançada em meados de 2014, mas foi perdida em 2016, quando o setor enfrentou uma das piores crises de sua história. No primeiro semestre, já são 2 milhões de passageiros a mais do que em igual período de 2017.

A demanda por viagens aéreas domésticas cresceu pelo 16º mês consecutivo em junho, ao registrar variação positiva de 5,19% em relação ao mesmo mês do ano passado. A oferta de assentos nos aviões teve expansão de 8,20% no mês passado, na comparação anual, completando um ano de crescimento mensal consecutivo. O aproveitamento das aeronaves recuou 2,23 pontos percentuais, para 78,01%.

No primeiro semestre, a demanda por voos domésticos acumula crescimento de 4,27% em relação ao mesmo período do ano passado. A oferta, por sua vez, mostra expansão de 4,31% na mesma base de comparação. O aproveitamento dos aviões permanece estável com 80,28%, uma variação negativa de 0,03 ponto percentual.

Na virada do século a aviação nacional atendia menos de 33 milhões de passageiros ao ano. A partir da liberalização tarifária os bilhetes ficaram mais baratos, a oferta foi expandida e a quantidade de clientes avançou consistentemente até chegar aos 100 milhões em meados de 2014.

Depois do ápice de quase 104 milhões de passageiros/ano por volta da metade de 2015, o setor passou a refletir a crise da economia brasileira como um todo. A marca de 100 milhões foi perdida no começo de 2016, sendo somente recuperada agora.

 

Mercado internacional

Os voos internacionais operados pelas companhias aéreas brasileiras registraram crescimento de 16,63% em junho, em relação a igual período de 2017.

A oferta teve expansão de 23,77% na comparação anual. Com isso, o aproveitamento das aeronaves recuou 4,9 pontos percentuais, para 80,01%. Em seis meses, a demanda por voos ao exterior acumula alta de 15,8%, com aumento de capacidade de 19,35% e ocupação dos aviões de 82,60%.

 

Via – ABEAR