A Avianca Brasil anunciou nesta segunda-feira (19/08) sua retirada oficial da Star Alliance, um grupo de companhias aéreas de nível mundial.

A retirada será realizada a partir do dia 1º de setembro deste ano. A iniciativa foi por parte da própria aliança, que julgou a situação da companhia como “pré-falimentar e impossibilitada de fazer voos”.

“Ao ingressar na Star Alliance em 2015, a Avianca Brasil promoveu contribuições importantes para a nossa proposta junto aos clientes no mercado brasileiro, e lamentamos esse infeliz acontecimento”, disse Jeffrey Goh, CEO da Star Alliance.

“Quero ressaltar que a saída da Avianca Brasil não afeta de forma alguma a participação da Avianca S.A., nossa valiosa membro sediada em Bogotá, na Colômbia, que continua a contribuir significativamente para a Aliança na América do Sul.”

Em nota a Avianca Holdings, que é independente da Avianca Brasil, disse: “Devido a situação operacional e financeira da Oceanair Linhas Aéreas S.A., em 17 de junho, a Avianca Holdings notificou à empresa o término imediato do contrato de uso da marca, o qual permitia que essa utilizasse comercialmente a marca Avianca Brasil desde dezembro de 2009”, disse a Avianca Brasil.

A Star Alliance tem as companhias Adria Airways, Aegean Airlines, Air Canada, Air China, Air India, Air New Zealand, ANA, Asiana Airlines, Austrian, Avianca, Brussels Airlines, Copa Airlines, Croatia Airlines, EGYPTAIR, Ethiopian Airlines, EVA Air, LOT Polish Airlines, Lufthansa, Ocean Air Linhas Aereas S/A (Avianca Brasil), Scandinavian Airlines, Shenzhen Airlines, Singapore Airlines, South African Airways, SWISS, TAP Air Portugal, THAI, Turkish Airlines e United como integrantes da rede. Cerca de 11 dessas companhias operam voos para o Brasil.