Aeronave da Avianca em Congonhas. Foto - Pedro Viana/Aeroflap

A Avianca Brasil conseguiu vender seus ativos em um leilão de slots realizado nesta quarta-feira (10/07), num auditório na região central de São Paulo.

A GOL e a LATAM se inscreveram para participar do leilão, enquanto a Azul Linhas Aéreas optou por ficar de fora. 

A GOL arrematou por R$ 70 milhões os ativos da Unidade Produtiva Isolada (UPI) A, com 20 autorizações de pousos e decolagens em Guarulhos, 12 em Santos Dumont e 18 em Congonhas. 

Já a LATAM comprou por US$ 70 milhões a UPI B, com 26 autorizações de pousos e decolagens em Guarulhos, 8 em Santos Dumont e 13 em Congonhas. A UPI C também foi arrematada pela LATAM, mas por US$ 10 mil, com 8 slots em Congonhas, 6 em Guarulhos e mais 6 no Santos Dumont.

A UPI D com 6 autorizações de pousos e decolagens em Guarulhos, 4 no Santos Dumont e 4 em Congonhas, foi arrematada pela GOL por US$ 10 mil. A GOL também arrematou a UPI E por US$ 7,3 milhões, com 6 autorizações de pousos e decolagens em Guarulhos, 4 no Santos Dumont e 9 em Congonhas.

No total são 7 UPIs, sendo uma somente do Programa Amigo. As UPIs F e do Programa Amigo não apresentaram interessados em pagar a quantia mínima solicitada.

Confira a composição de cada UPI:

• UPI A – 20 slots em Guarulhos, 12 em Santos Dumont e 21 em Congonhas
• UPI B – 26 slots em Guarulhos, 8 em Santos Dumont e 15 em Congonhas
• UPI C – 6 slots em Guarulhos, 6 em Santos Dumont e 8 em Congonhas
• UPI D – 6 slots em Guarulhos, 4 em Santos Dumont e 4 em Congonhas
• UPI E – 6 slots em Guarulhos, 4 em Santos Dumont e 10 em Congonhas
• UPI F – 25 slots em Congonhas
• UPI Programa Amigo – Membros e banco de dados do programa de fidelidade da Avianca

Na página da MegaLeilões, responsável pelo leilão, o evento é descrito como “Falência Avianca”.

A dúvida agora é se esses slots oferecidos pela Avianca Brasil no leilão realmente valem, após a ANAC conseguir duas vezes na justiça o direito de redistribuir esses slots. As companhias só devem realizar o pagamento milionário sob a condição de repasse dos ativos.

O leilão foi originalmente programado para o início de maio, mas suspenso após uma liminar da Swissport, alegando irregularidades no leilão, poucas horas depois a BR Aviation também entrou com liminar.

Desde então a Avianca sofreu seu período mais turbulento, cancelando diversos voos, demitindo funcionários, o que culminou na proibição da ANAC da empresa operar voos, no dia 24 de maio.

A companhia acumula uma dívida de pelo menos R$ 3 bilhões, sendo que 80% desse valor é com fundos de empréstimos e financiamentos.

 

Redistribuição de slots pela ANAC

A Agência Nacional de Aviação Civil espera fazer essa redistribuição o mais breve possível dos slots, são no total 41 disputados slots da Avianca Brasil no Aeroporto de Congonhas, contra 236 da LATAM e 235 da GOL.

Pelas normas da ANAC, cerca de 50% desses 41 slots seriam distribuídos entre as companhias que operam no local, ou seja, a GOL, LATAM e Azul. Os outros 50% seriam repassados para novas entrantes, como a Globalia, Passaredo, Twoflex e Sideral.

Além dos slots em Congonhas, anteriormente a ANAC decidiu também pela imediata redistribuição dos slots que deixaram de ser operados pela Avianca nos aeroportos de Guarulhos (GRU), Santos Dumont (SDU) e Recife (REC), conforme o previsto na Resolução nº 338/2014.

 

*Essa matéria será atualizada com o decorrer do leilão, na tarde desta quarta-feira (10/07).