Aeronave da Avianca Brasil no Aeroporto de Guarulhos.

Um conjunto de armários, cadeiras e mesas da Avianca Brasil foram colocados à venda pela companhia, mas imediatamente depois foram retidos pela concessionária do Aeroporto de Guarulhos.

Esses bens injetariam no caixa da companhia cerca de R$ 140 mil, algo que seria utilizado para privilegiar o pagamento de alguns credores, de acordo com a concessionária do Aeroporto de Guarulhos, GRU Airport.

Os ativos da empresa, além desse conjunto de móveis da companhia em Guarulhos, continuam bloqueados pelo regime de Recuperação Judicial, somente com a concessionária do Aeroporto de Guarulhos a Avianca Brasil tem uma dívida de R$ 27 milhões referente à taxas de embarque, fora outras taxas aeroportuárias para manter as operações regulares da empresa.

Antes de entrar no regime de recuperação judicial, a Avianca Brasil utilizava o Aeroporto de Guarulhos como um hub de voos, boa parte das suas operações eram realizadas a partir desse terminal, inclusive seus voos internacionais para Miami, Nova York e Santiago com o Airbus A330neo.

Enquanto isso o leilão de slots da Avianca Brasil está paralisado pela justiça, e a empresa corre o risco de perder a posse desse bem mais valioso da empresa, por não operar voos.

Uma decisão firme deverá ser anunciada na próxima segunda-feira (10/06), durante uma audiência que pode dar prosseguimento ao atual plano de recuperação judicial da empresa. Se o juiz decidir que o plano de recuperação deverá ser reformulado, a companhia perderá boa parte dos seus ativos nos próximos meses, e pode resultar na falência da empresa.