A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) informou na tarde desta quinta-feira que está executando a retirada de 10 aeronaves Airbus A320, operadas pela Avianca Brasil, registrada como “OCEANAIR LINHAS AÉREAS S.A”, do Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB).

O procedimento está sendo realizado após a solicitação da empresa de leasing dona das aeronaves, a GE Capital Aviation Services (GECAS), na última terça-feira (15/01).

Com o cancelamento da matrícula no RAB, que pode ocorrer em até 5 dias úteis, a devolução das aeronaves é imediata, o que pode gerar impacto nos voos previstos para os próximos dias.

O processo para a retirada das aeronaves do registro da ANAC cumpre o previsto na Convenção da Cidade do Cabo, promulgada pelo Decreto nº 8.008/2013, que prevê a ágil retirada de aeronave pelo proprietário em casos de inadimplência.

Mais conhecido como IDERA (Irrevocable De-Registration and Export Request Authorisation), o processo executado hoje pela ANAC é o registro de autorização irrevogável para o cancelamento de matrícula e solicitação de exportação. O objetivo desse instrumento é reduzir os riscos de financiamento de ativos de alto valor em contratos aeronáuticos, como os advindos de processos de empresas em recuperação judicial, como é o caso da empresa Avianca.

Desta forma a Avianca Brasil já teve 17 aviões retirados da sua frota, sendo 16 do modelo A320, com capacidade para cerca de 162 passageiros, e 1 do modelo A330-200, com capacidade para 236 passageiros. A frota da companhia é de apenas 36 aviões, sem essas 10 aeronaves.

A companhia aérea passa atualmente por um período de Recuperação Judicial, e ainda está em risco de perder outros 10 aviões até o dia 1º de fevereiro, devido a débitos com duas empresas de leasing.

Ontem a Avianca Brasil também informou que estaria cancelando os seus voos internacionais de longa distância, partindo de Guarulhos (São Paulo) para Santiago, Miami e Nova York.

 

Via – ANAC