Azul adia entrega de 82 aeronaves para após 2024

Azul

(Reuters) – A Azul informou nesta quinta-feira que adiou o recebimento de 82 novas aeronaves para 2024 pelo menos devido aos impactos da pandemia de coronavírus.

A Azul, terceira maior companhia aérea do Brasil, passava por uma expansão ambiciosa quando as medidas de isolamento social derrubaram a demanda por viagens aéreas a partir de março. A frota total da empresa é formada atualmente por 167 aviões, disse a empresa.

A companhia aérea não divulgou quais aeronaves tiveram entrega adiada, mas possui encomendas de mais de 100 jatos E2 da Embraer, além de pedidos de aviões da Airbus. Contudo, no relatório financeiro a Azul citou as duas empresas.

A Azul teve prejuízo de 2,9 bilhões de reais no segundo trimestre, revertendo lucro líquido de 351,6 milhões registrado no mesmo período de 2019.

A companhia teve geração de caixa de 1 bilhão de reais no segundo trimestre, principalmente com investimentos de curto prazo não detalhados. Também renegociou seu passivo de leasing de aeronaves para reduzir a relação dívida/Ebitda de 6,4 para 4,8 vezes.

A companhia aérea espera queimar cerca de 270 milhões de reais de caixa no próximo trimestre.

Em entrevista ao Portal Aeroflap na última terça-feira, o presidente da companhia, John Rodgerson, afirmou que a Azul deve enviar quatro aviões para a Breeze Airways.

A companhia aérea de David Neeleman é nova nos EUA, e assinou um contrato de subleasing com aviões da frota da Azul. A entrega dos aviões Embraer E195-E1 deve ser realizada nos próximos 6 meses.

DEIXE UMA RESPOSTA