Durante uma conferência com investidores, realizada na última semana, David Neeleman, fundador e principal acionista individual da Azul, esclareceu um pouco mais da situação dos novos Embraer E195-E2 na frota da companhia.

De acordo com Neeleman, o novo avião da Azul deverá começar a operar voos comerciais na companhia em outubro deste ano, a entrega já está agendada para setembro, e a aeronave inclusive foi flagrada recentemente em uma área de testes de motores na unidade da Embraer em São José dos Campos. A equipe do Portal Aeroflap esteve ao lado do E195-E2 da Azul no último sábado.

Neeleman prossegue na conferência citando que a Azul deve receber até o fim de 2019 cerca de seis aviões E195-E2, e estes vão ajudar a companhia a atingir 55% da oferta de assentos através de aeronaves de nova geração, diminuindo os gastos da empresa com combustível.

“Como acabei de mencionar, vamos começar a substituir E1s por E2s em outubro, e não poderia estar mais animado com o impacto que esses planos terão em nossa lucratividade. John vai falar sobre isso com mais detalhes em sua apresentação”, disse Neeleman.

O E195-E2 da Azul deverá ser equipado com 136 assentos, visto que a aeronave ganhou um aumento do comprimento da fuselagem em comparação com a 1ª geração. Essa é uma configuração consideravelmente confortável, visto que o E195-E2 pode receber até 146 assentos a bordo devido às alterações estruturais que aumentaram o tamanho da fuselagem.

Além desse acréscimo de assentos, o E195-E2 não cobra nada a mais em consumo para oferecer essa capacidade extra, ao contrário, ele proporciona uma economia de combustível na ordem de 15% comparando com a geração anterior e uma redução de custo de transporte por assento ainda maior, de 26%, devido ao maior espaço interno.

“Mais de 500 dos nossos 870 voos diários ainda são realizados pela primeira geração. No futuro, todos eles serão realizados pelo E2, resultando em um custo 14% menor e 10% a mais de receita em cada voo.”

A companhia encomendou 51 aviões do modelo E195-E2, fabricados pela Embraer, para substituir a sua frota de aeronaves E-Jets de Primeira Geração (E1). Os jatos serão equipados com TV ao Vivo.

 

Melhorias no desempenho do E195-E2

As metas de desempenho do E195-E2 deveriam ser semelhantes às do E195, mas com mais carga útil (adição de 12 passageiros). Os resultados, no entanto, mostram melhorias significativas em muitos aspectos.

Alcance – A autonomia máxima é de 2600 milhas náuticas (4800 km) com carga total de passageiros, 600 milhas náuticas a mais que o E195.

Aeroportos Restritos – O E195-E2 poderá atender mais mercados que contam com aeroportos com restrições de operação. De Denver, o alcance da aeronave é de 900 milhas náuticas mais longo do que o do E195. Do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, o ganho é mais de 500 milhas náuticas.

Comprimento da área de decolagem – No peso máximo de decolagem (MTOW), na sigla em inglês), o E195-E2 requer apenas 1800 metros, enquanto o E195 precisa de 2180 metros.