A Azul e a LATAM estão entusiasmadas com o novo acordo de céus abertos com os Estados Unidos. No dia 19 de dezembro de 2017 os deputados federais do Brasil aprovaram um acordo de céus abertos com os Estados Unidos, e assim deram mais um passo para o fim do limite de voos entre cidades do Brasil e dos EUA.

Essa medida já tinha sido assinada anteriormente pela presidente Dilma Rousseff e o presidente Barack Obama em 2011, mas desde então estava parado no Congresso Nacional.

O acordo ainda vai passar pelo Senado e precisa de aprovação presidencial, antes de passar a valer para as companhias nacionais, dessa forma e com o conhecido funcionamento político do Brasil, não é possível estimar uma data correta de quando o acordo passará a valer, nem as companhias se arriscam a estimar essa data.

Foto – Marcos Junglas/Azul Media

Apesar disso o presidente da Azul, John Rodgerson, disse que o acordo poderá ser implementado em 2019, caso as companhias pressionem o governo para uma rápida aprovação, visando o mínimo prejuízo ao mercado.

Já o presidente-executivo da LATAM Brasil, Jerome Cadier, disse que os processos no Senado são aprovados mais rapidamente do que na Câmara. Boa parte disso é devido ao menor número de políticos envolvidos na aprovação.

A limitação do acordo atual é para até 301 frequências semanais para os dois países, como dito anteriormente, esse novo acordo não limita o número de voos entre as companhias americanas e as brasileiras.

 

Codeshare

Enquanto a LATAM planeja implementar a sua parceria no estilo joint-venture com a American Airlines, mesmo se o acordo de céus abertos não for aprovado, a Azul está na expectativa para aumentar sua cooperação com a United Airlines, uma das companhias que investe na Brasileira desde 2015.

Foto – Boeing Media

A cooperação entre as duas companhias (LATAM e American) será dedicada exclusivamente para os voos entre os Estados Unidos e o Brasil, será ainda mais amplo em comparação com um simples codeshare, pois haverá uma padronização de preços das passagens aéreas, um marketing conjunto dos voos e o compartilhamento de receitas entre os voos dos EUA para o Brasil.

Assim uma passagem da LATAM para os EUA terá o preço semelhante ao de uma passagem da American para o mesmo destino. O acordo também visa uma melhor coordenação de oferta entre as duas companhias, sempre dos voos que saem de Manaus, Rio de Janeiro e São Paulo.

Foto – United Airlines

Já a Azul está expandindo sua cooperação com a United, vendendo passagens da companhia através da Azul Viagens e integrando os programas de milhagem TudoAzul e MileagePlus. A United também detém 5% de participação acionária na Azul, e também já faz parceria de codeshare com a companhia brasileira.

 

Via – FlightGlobal