Azul está quase fechando acordo para renegociar dívidas

Azul

A Azul Linhas Aéreas entrou na atual crise com um grande problema para resolver: Diminuir suas dívidas neste período de queda na receita.

E de acordo com duas fontes consultadas pelo Broadcast, do jornal O Estado de S.Paulo, a companhia está perto de chegar a um acordo com todos os seus credores.

A Azul conta com a ajuda do escritório Galeazzi e Associados, para renegociar suas dívidas e pagamentos com credores e fornecedores. O foco nessa “ajuda” é renegociar compromissos da Azul para esses e os próximos anos, no valor de R$ 15 bilhões.

 A Azul ainda contratou o Itaú BBA como assessor financeiro nas negociações.

De acordo com o Broadcast, a empresa está primeiro fechando um acordo com bancos brasileiros. A negociação inclui um adiamento por 18 meses do pagamento das parcelas de empréstimos e leasing. O pagamento será realizado a partir dos 18 meses seguintes à carência, ou seja, no início de 2022.

Os acordos com os bancos no Brasil podem incluir ainda uma cláusula onde o setor privado empresta dinheiro à Azul, para aumentar a liquidez da empresa, através do programa de suporte do BNDES.

A Azul já descartou qualquer possibilidade de entrar em Recuperação Judicial, seja no Brasil ou nos EUA. A empresa também descarta uma fusão com a LATAM Brasil, considerando o acordo de codeshare apenas como “vantajoso”.


 

DEIXE UMA RESPOSTA