Azul Embraer E195-E2 PS-AEB
Foto: Gabriel Melo/Aeroflap

Em decorrência do aumento de casos de influenza e Covid-19 em seus tripulantes, a Azul já sente os impactos das suas operações. Além disso, há um avanço em todo o país dos casos da Covid-19, principalmente com a variante ômicron, incluindo vírus H3N2 da influenza. 

Por conta da situação atípica, a Azul anunciou a reprogramação de alguns voos para o mês de janeiro e informou que os clientes impactados estão sendo notificados das alterações e serão reacomodados em outros voos da própria companhia, além de receber toda a assistência conforme prevê a resolução 400 da ANAC. 

Com o alto número das baixas médicas, alguns voos da companhia tiveram a capacidade máxima de passageiros em suas aeronaves reduzidas, confira abaixo: 

As operações com o A320 tiveram 17 voos com capacidade máxima de passageiros reduzida, sendo que a aeronave transportou 150 passageiros ao invés de 174. Já as aeronaves da família E-195, cinco voos foram afetados, com a capacidade máxima de 100 passageiros, sendo 18 a menos da sua capacidade máxima de transporte. 

“Nos últimos dias, começamos a ser afetados por um alto número de dispensas médicas, tanto no grupo de voo quanto em nossos times de solo, Azulcenter [central de atendimento da empresa] e demais áreas administrativas. Por conta disso, os próximos dias serão mais desafiadores para nossa operação como um todo e já começamos a realizar alguns ajustes para enfrentar essa situação”, disse John Rogers, presidente da Azul. 

Além disso, Rogers reforça a necessidade de que os tripulantes sigam se vacinando, além de tomarem todas as medidas protetivas de higiene para uma maior proteção. 

Com informações: Azul e G1 

DEIXE UMA RESPOSTA