Foto: RAF

Um bombardeiro stealth B-2A Spirit da Força Aérea dos EUA ficou danificado ao fazer um pouso de emergência na Base Aérea de Whiteman (Missouri) na manhã de terça-feira (14) Não se sabe, até o momento, a extensão dos danos na aeronave. 

Em comunicado, a USAF confirmou ao portal The War Zone, que o incidente ocorreu depois que a tripulação identificou um mau funcionamento em voo, com a aeronave vindo a ser danificada durante o pouso em Whiteman. A USAF também informou que ninguém ficou ferido e que não houve nenhum incêndio, finalizando dizendo que mais informações serão fornecidas assim que estiverem disponíveis.

Logo após o incidente, uma zona de restrição de voo foi imposta em um círculo de seis milhas e oito mil pés a partir do solo.

Veja Mais: USAF envia bombardeiros stealth B-2 para a Islândia

B-2A Spirit. Foto: USAF
Localizada ao sul da cidade de Knob Noster, no estado americano do Missouri, a Base Aérea de Whiteman é a sede da frota de bombardeiros B-2 da USAF, um dos ativos mais caros do inventário norte-americano. O portal destaca que o B-2 é construído e revestido com materiais que podem ser extremamente tóxicos se danificados, o que justifica a restrição do espaço aéreo, bem como outras precauções. 
 
A Base Aérea de Whiteman só possui uma pista. No pátio, á esquerda, podem ser vistos os 14 hangares especiais dos B-2. Imagem: Google Earth via The War Zone.
De 21 bombardeiros produzidos pela Northrop Grumman, 20 estão em serviço. Uma aeronave foi perdida em um acidente logo após a decolar da Base Aérea de Guam, no Oceano Pacífico, em 2008. Em 2010, outro acidente, também em Guam, deixou o B-2 batizado como “Spirit of Washington” seriamente danificado. O jato furtivo passou por um extenso trabalho de reparo que durou 18 meses, mas voltou ao serviço ativo. 
 
O B-2 pode carregar 23 toneladas de bombas convencionais, guiadas, nucleares ou mísseis ar-solo. Atualmente a Northrop trabalha junto à USAF no desenvolvimento do B-21 Raider, novo bombardeiro stealth que deve substituir tanto o B-2 quanto o B-1B Lancer no futuro. 
 

DEIXE UMA RESPOSTA