F-35 Lightning II. Foto: USAF.

Oito dias após tomar posse, o Presidente dos Estados Unidos Joe Biden suspendeu temporariamente o acordo de aquisição de 50 caças F-35 Lightning II pelos Emirados Árabes Unidos, avaliado em US$ de 23 bilhões.

O acordo havia sido fechado nos últimos momentos da administração de Donald Trump, após um longo período de negociações entre EUA, Israel e os Emirados Árabes.

De acordo com o Departamento de Estado dos EUA, as suspensões são normais e ocorrem para que novas administrações possam revisar acordos de aquisição de artigos bélicos através do programa de Foreign Military Sales (FMS).

Além do contrato dos Emirados, um acordo com a Arábia Saudita também foi suspenso para revisão.

O ex-presidente Trump aprovou a aquisição dos caças pelos Emirados Árabes após as negociações que levaram ao Acordo Abraham, que normalizou as relações dos EAU com Israel. No Congresso Americano a venda não foi vista com bons olhos e houveram tentativas, infrutíferas, de bloqueio. 

Caças F-35 “Adir” sobrevoando Jerusalém. Foto: IAF.

Com a compra, os EAU se tornariam o primeiro país árabe e o segundo do Oriente Médio a possuir caças de 5ª Geração. Em dezembro de 2016, Israel recebeu seus primeiros dois F-35I “Adir”. Atualmente, o país já tem dois esquadrões completos com F-35, que inclusive já foram empregados em combate.