Joe Biden
Presidente dos EUA, Joe Biden- Foto: Kevin Lamarque/Reuters

Na última semana o antigo presidente dos EUA, Donald Trump, autorizou a entrada de Europeus e Brasileiros nos Estados Unidos. Quebrando uma proibição que estava em vigor desde março.

No entanto, a abertura das fronteiras aconteceu bem no meio de uma forte 2ª onda da Covid-19 na Europa e no Brasil, com cepas mais transmissíveis do coronavírus (Covid-19) em ambos os continentes.

No entanto, Joe Biden cumpriu sua promessa um dia antes de assumir o cargo de presidente, e voltou a proibir a entrada de turistas da da Europa, Reino Unido, Irlanda e do Brasil.

A África do Sul também foi adicionada à lista de países de onde os passageiros serão impedidos de entrar nos Estados Unidos. Cidadãos chineses e iranianos estão impedidos de entrar no país desde janeiro e fevereiro, respectivamente. Essas restrições também permanecem em vigor.

Cidadãos e residentes permanentes dos EUA, bem como suas famílias, estão isentos da restrição. 

“Com o agravamento da pandemia e a propagação de mais variantes contagiosas, este não é o momento de suspender as restrições às viagens internacionais”, disse o porta-voz da Casa Branca Jen Psaki.

O Governo dos EUA continuará exigindo o teste do coronavírus com resultado negativo, para aqueles que desejam entrar no país. Este deverá ser realizado 72 horas antes de entrar no país.