BNDES disse que companhias aéreas aceitaram termos de financiamento

(Reuters) – O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, afirmou nesta sexta-feira que as três principais companhias aéreas que atuam no país, Gol, Azul e Latam, aceitaram as condições financeiras da operação de socorro de bancos para o setor e acrescentou que a ajuda à indústria automotiva será negociada com cada montadora, tendo como exigência a manutenção de operações no Brasil.

Segundo Montezano, as condições financeiras para o socorro às aéreas foram apresentadas às três empresas e, na quinta-feira, todas aceitaram o modelo.

“Ontem todas as três aceitaram a proposta do sindicato de bancos e agora é a fase de execução da operação”, disse Montezano durante entrevista online com jornalistas para falar do resultado do banco, que teve lucro de 5,5 bilhões de reais no primeiro trimestre.

A Reuters apurou que o modelo de socorro prevê ajuda de até 6 bilhões de reais para as companhias aéreas, sendo 2 bilhões de reais para cada uma das empresas. O “cheque” do BNDES seria de até 2,4 bi de reais, enquanto bancos privados entrariam com 500 milhões de reais. O restante da operação seria com instrumentos híbridos como debêntures conversíveis em ações e emissão de bônus.

As mesmas fontes disseram que a linha deve ficar pronta em junho, e a Latam, por ser uma empresa internacional e com ação negociada em Nova York, poderia ter mais dificuldades para acessar o crédito.

 

DEIXE UMA RESPOSTA