Boeing 737NG Atualização Consumo Fuel

Além do opcional de Split Scimitar Winglet, que reduz o consumo de combustível, as empresas que operam com aviões da família Boeing 737 Next Generation (NG) podem contar em breve com mais uma atualização, que também reduz o consumo.

Este kit está sendo desenvolvido para instalação na estrutura da aeronave pela Aero Design Labs (ADL). Os componentes substituem itens originais do 737 NG, e reduzem o arrasto e o peso do avião.

O kit desenvolvido pela ADL modifica algumas partes da aeronave. Começaremos pela canoinha. Este é um revestimento aerodinâmico do sistema de atuação dos flaps em um avião de grande performance, sem essa carenagem o arrasto aerodinâmico é tão grande que pode reduzir o peso máximo de decolagem do avião.

Logicamente a Boeing equipou o 737NG com as canoinhas em cada atuador, mas a ADL fez alguns testes utilizando software de ensaio aerodinâmico (CFD), e descobriu que modificar a parte final desse componente (foto acima) reduz o arrasto aerodinâmico da aeronave.

A barriga do avião também recebeu modificações na sua porção final, e perto do alojamento do trem de pouso principal do avião.

Na imagem abaixo, por exemplo, podemos notar um ponto de alta pressão do ar (em vermelho) quando o trem de pouso está alojado em seu compartimento. Logo depois temos uma zona de baixa pressão (em azul), que pode transformar o fluxo laminar em ar turbulento.

Essas são duas zonas críticas, uma gerando alta pressão pelo impacto do ar, e consequentemente arrasto, e outra arrasto por uma espécie de “vácuo” formado pelo desenho da carenagem, onde uma zona de turbulência do ar é formada.

A ADL aproveitou para modificar a porção lateral de revestimento da barriga da aeronave, que protege e dá forma aerodinâmica a esse ponto de conexão da asa com a fuselagem. Utilizando material composto, um componente novo e redesenhado foi colocado na parte final da barriga.

Os engenheiros que trabalharam no projeto também fizeram outras modificações menores, como a implementação de geradores de vórtices ao longo do avião, e uma modificação nos dutos de saída de ar da pack ram, localizados à frente do trem de pouso principal (quando no seu alojamento).

Todas essas modificações do kit ADRS-1 combinadas geram uma economia de combustível de 1,5% com base no Boeing 737-700, sendo que nas versões -800 e -900 o ganho no menor consumo pode ser amplificado.

 

Westjet topou testar e divulga qual a redução de custos

Westjet Boeing 737

A Westjet e a Aero Design Labs trabalharam juntas para coletar dados e descobertas que levaram a modificações adicionais e feedback sobre a tecnologia, que será adicionada aos aviões da companhia uma vez aprovada e validada pela Transport Canada para uso comercial.

De acordo com a ADL e a companhia aérea, cada avião equipado com o kit pode ter seu custo de operação mensal reduzido em até US$ 12000, considerando o atual galão de querosene (QAV) a US$ 3.

Ambientalmente também é vantajoso, visto que há uma redução superior a 40 toneladas de CO2 emitidas na atmosfera terrestre.

A instalação demora 150 horas de trabalho, considerando somente um mecânico com um auxiliar executando o serviço. O kit também pesa cerca de 49,9 kg a menos, na comparação com as carenagens originais da atualização PIP, realizada em 2011 e que já reduzia em 2% o consumo de combustível do 737 NG.

A FAA já certificou o kit para uso no Boeing 737-700, após vários testes, e a ADL disse que a certificação de um outro kit, para o -800 e -900 poderá ser finalizada nos próximos meses. 

A meta da ADL com suas parceiras de produção é atingir a capacidade de produzir 92 kits por mês, logo no início da produção em série. Atualmente cerca de 5200 aeronaves da família Boeing 737 NG estão em atividade no mundo.

Além da Westjet, a Delta também planeja apoiar a certificação para as versões -800 e -900ER, além de equipar os seus aviões com este kit.

 

Com informações de Aero Design Labs, Westjet e Aviation Week.