Boeing 737 MAX
Foto - Divulgação

A FAA (Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos) solicitou para as companhias aéreas uma modificação no sistema de bombas de combustível do Boeing 737 MAX.

De acordo com a agência regulamentadora, a aeronave pode sofrer com problemas de corte de combustível no sistema de bombeamento, devido a um erro de eletrônica da aeronave, que controla o nível automaticamente durante o reabastecimento da aeronave.

A FAA ainda ressaltou que o problema foi identificado na maioria das vezes no sistema de reabastecimento da asa direita da aeronave.

Durante o reabastecimento, esse sistema deve fechar automaticamente uma válvula quando o tanque estiver cheio. Se o recurso de desligamento automático falhar, o sistema deve gerar um aviso intermitente no “painel de reabastecimento” dos aviões, notificando os operadores de combustível sobre a falha.

A falha é causada por uma intermitência nos valores de limite de combustível apresentados pela Central de Processamento de Combustível. Há um nível correto de limite de combustível para cada tanque, mas em algumas vezes o sistema não obedece esse limite e indica uma falha na aferição.

A agência segue uma recomendação da Boeing, de 2020, para que as companhias substituam as unidades de processamento de combustível por um modelo atualizado. Este problema não causa a paralisação ou interrupção das aeronaves não atualizadas.

 

Com informações de FlightGlobal.