Boeing 737 MAX
Foto - Boeing

A Boeing alertou nesta sexta-feira (16) aos seus clientes, que foram afetados pelo problema anterior do 737 MAX (Clique Aqui para ver mais), sobre mais detalhes que incrementam a parte de reparos dos erros.

De acordo com a fabricante, o problema elétrico de aterramento do 737 MAX pode afetar mais sistemas, em comparação com o informado anteriormente.

Os mesmos 90 aviões continuam afetados pelo problema, e não há nenhum avião adicional envolvido. O problema é apenas um: Pode ser mais complexo solucionar as questões de aterramento no 737 MAX, devido a ter mais sistemas eletrônicos com o ‘defeito’.

A Boeing não descartou, no entanto, que mais aviões podem sofrer do mesmo problema no aterramento dos sistemas elétricos.

A recomendação adicional para os aviões afetados, emitida nessa sexta-feira pela Boeing, é uma inspeção extra dos cabos de aterramento do painel de instrumentos principal da aeronave, onde as quatro telas estão localizadas, bem como no rack que abriga a unidade de energia de stand-by da aeronave.

Como os mecânicos precisam desmontar todo o painel e a parte de energia do cockpit para realizar essas verificações, ou substituir os componentes em caso de defeito detectado, o reparo é mais complexo e pode deixar o avião mais tempo em solo.

Este problema continua sem relação ao sistema MCAS, de acordo com um comunicado anterior da Boeing.

Esse é o terceiro problema revelado pela empresa envolvendo o sistema elétrico da aeronave.

O primeiro envolve o isolamento eletromagnético dos componentes do motor, e um segundo problema envolve cabos do sistema de aviônicos da aeronave.

Todos são relacionados ao projeto ou fabricação da aeronave pela Boeing, sem ligação com desgaste natural dos componentes.