Boeing 777X
Foto: @paulweatherman/Via Twitter

A Boeing continua aos poucos avançando com a certificação do 777X, seu mais novo avião de duplo corredor. Dias atrás a aeronave de testes WH004 (N779XZ) foi encontrada no Alasca, enfrentando o clima frio do local no inverno.

Em outras ocasiões apresentamos alguns processos de certificação das aeronaves. Já postamos sobre os testes com a pista alagada, essencial para conferir a resistência dos sistemas auxiliares do trem de pouso. Também postamos algumas vezes sobre os testes no frio intenso, como ocorreu no caso do A350XWB alguns anos atrás.

E o Boeing 777X foi justamente passar por esses testes em um intenso clima de frio, algo que está ocorrendo em Fairbanks, no Alasca.

 

Porque as fabricantes fazem esses testes?

Com uma temperatura muito baixa, algumas partes do avião podem quebrar ou rachar, pela característica da dilatação diferente dos materiais utilizados nas aeronaves. Os engenheiros que projetam o avião já esperam esse comportamento, e atualmente poucos aviões sofrem desse problema durante os testes.

Mas da mesma forma, os testes são focados em verificar o nível de eficiência dos lubrificantes, sistemas de aquecimento da aeronave e funcionamento das partes móveis, que podem sofrer com a formação de gelo em seus sistemas de atuação.

Em condição de frio extremo, como na Sibéria, um avião também pode sofrer problemas em suas borrachas e plásticos, que não suportam a baixa temperatura e ficam quebradiços, causando problemas durante a utilização do avião.

No vídeo acima temos o A350 fazendo testes em condições de bastante frio.

Um outro interessante teste, citado pelo AirlinesRatings, é de ligar os motores após 24 horas do avião sem uso, e verificar como uma partida a frio é realizada, tanto para os motores como para a APU.

Adicionalmente a tripulação verifica como é pousar e decolar em pistas “congeladas”, bem como verificar o uso dos reversores dos motores na neve, e também alguns procedimentos de emergência, como uma Decolagem Abortada (RTO, em inglês), realizada pelos pilotos quando encontram alguma falha no avião, e a velocidade está abaixo do V1.

Os testes são realizados por todas as fabricantes de aeronaves para garantir que a aeronave possa operar em todas as condições climáticas extremas.