Boeing 787 Roman Abramovich
Foto: Stephan Tournay / Wikimedia

Os EUA, através do Departamento de Comércio do país, incluiu em sua lista de sansões o jato particular Boeing 787 do empresário russo, Roman Abramovich, que é o antigo dono do clube de futebol Chelsea.

O Boeing 787 de Abramovich possivelmente pode estar violando alguns regulamentos estabelecidos na Administração de Exportação dos EUA. Por estar na lista de sansões, o jato particular do empresário não poderá receber peças de manutenção ou receber reparos, não pode ser abastecido, a menos que os EUA tenha permitido. 

Segundo dados do FlightRadar24, o Boeing 787 de Abramovich realizou seu último voo no dia 4 de março, partindo de Moscou na Rússia para Dubai. 

“As ações de hoje são um lembrete para as partes na Rússia, bem como em todo o resto do mundo, que as autoridades legais dos EUA são substanciais, de longo alcance e têm um impacto significativo nas operações globais das partes que violam a lei dos EUA”. Disse  Matthew S. Axelrod, Secretário Assistente de Comércio dos EUA.

No começo do mês de abril, o ministro dos transportes de Aruba disse o jato de Abramovich, ex-dono do Chelsea, junto com outras dez aeronaves teriam suas matrículas canceladas do país.

Além do Boeing 787, de matrícula P4-BDL, um Gulfstream G650 também pertencente à Abramovich, foi adicionado a lista de aeronaves que receberam sansões dos EUA.

Esses aviões se juntam a outros 147 aviões de fabricação da Boeing que estavam em operação por companhias aéreas russas. 

“Ao impedir que essas aeronaves recebam qualquer serviço, inclusive do exterior, os voos internacionais da Bielorrússia ou da Rússia nessas aeronaves são efetivamente aterrados”.

 

 

Com informações do AeroTime.