Boeing avalia potencial corte de 10% na força de trabalho, diz WSJ

First 747-8 in Factory With Engines K64768-01

(Reuters) – A Boeing está avaliando um plano para reduzir sua força de trabalho em cerca de 10%, o que poderia envolver pacotes de demissão voluntária, aposentadorias antecipadas e outros cortes de pessoal, publicou o Wall Street Journal.

Espera-se que os possíveis cortes de empregos tenham como alvo o braço comercial da Boeing, que está sob tensão devido à crise no setor aéreo global, segundo a reportagem.

A fabricante de aviões recusou um pedido da Reuters para comentar.

Em meio à pandemia de coronavírus, a Boeing suspendeu a produção em várias fábricas, incluindo a produção do avião 787 em suas instalações na Carolina do Sul.
 
Na semana passada, o presidente-executivo fabricante, Dave Calhoun, esboçou um plano de demissões voluntárias para funcionários, alertando que a pandemia teria um impacto duradouro na indústria aeroespacial.
 

A empresa havia congelado anteriormente contratações e pagamento de horas extras, exceto em certas áreas críticas para economizar dinheiro.

DEIXE UMA RESPOSTA