Boeing Fábrica Everett
Fabrica da Boeing em Everett. Foto - Boeing

Em algum momento, você já deve ter ouvido falar de um avião Boeing e de como ele é grande. A Boeing é o maior conglomerado aeroespacial do mundo e foi fundada em 1916 por William Boeing em Seattle, nos Estados Unidos.

Além de aviões comerciais, também atua nos segmentos de defesa, espaço e segurança, fabricando aeronaves de combate, armamento, satélites e sistemas espaciais e de inteligência.

A empresa é uma das fornecedoras do exército norte-americano desde a década de 1940, na Segunda Guerra Mundial. As máquinas potentes, rápidas, aerodinâmicas e poderosas sempre foram a marca registrada da Boeing, tanto para objetivos militares quanto para o transporte de carga e passageiros.

Conhecida principalmente pelos modelos da família Boeing 737 MAX – a mais vendida em toda a história da aviação – e o 747, a aeronave a jato chamada de Jumbo Jet ou Queen of the Skies (Rainha dos Céus), a companhia precisa de espaços massivos para guardar esses gigantes.

Logo abaixo, conheça um pouco sobre a fábrica da Boeing, o maior galpão do mundo.

A fábrica

Em 1966, foi anunciado que a Boeing construiria o maior avião a jato até então – o 747 que falamos anteriormente. Por causa disso, seria necessário um lugar que tivesse espaço o suficiente para abrigar diversos exemplares desse e de outros modelos.

A solução de alugar galpão até poderia funcionar para outras empresas, mas não para a Boeing. A empresa tinha planos ambiciosos para o futuro e, para isso, precisava construir o próprio espaço.

No mesmo ano, a companhia escolheu Everett, em Washington, a 50 quilômetros de Seattle, para expandir seus negócios. Uma área próxima ao aeroporto de Paine Field foi comprada, cuja estrutura original contava com três galpões.

A obra de expansão em Everett para abrigar o 747 durou 22 meses, sendo concluída em 1968. Em 1980, o espaço aumentou ainda mais para que a fabricação do 767 fosse possível. Em 1993, cresceu outra vez por causa do 777. A cada novo modelo, a fábrica aumentava.

Atualmente, o complexo de fabricação da Boeing é um imenso galpão que ocupa mais de 399 mil metros quadrados, o que é equivalente a 56 campos de futebol. 

Para uma comparação ainda mais clara, seria possível colocar catorze Empire State Building (arranha-céu de Nova York) na horizontal ou dezessete Taj Mahal (mausoléu da Índia) dentro do galpão.

O espaço é dividido entre alas de produção, hangares de pintura, centro de montagem de asas, centro de construção vertical para fuselagem e unidade de entrega. 

O lugar é tão grande que foi reconhecido pelo Guinness Book, o Livro dos Recordes, por ser o maior prédio em volume de todo o mundo.

Da unidade de Everett saem os modelos 747, 767, 777, 787 e, mais recentemente, o 777X, o avião que pretende superar o A350-1000 da Airbus – concorrente europeia da Boeing que foi fundada em 1970 por um acordo entre Alemanha, França e Inglaterra.

Dentro do galpão de produção, há diversas alas e uma gigantesca estrutura com mais de 62 quilômetros de trilhos suspensos que se conectam a guindastes. Com capacidade para erguer até 40 toneladas, é utilizado diariamente para transportar as peças dos aviões.

Existem 4 quilômetros de túneis sob as fábricas, sendo este o principal método de locomoção dos funcionários, o que economiza mais tempo do que percorrer por dentro dos galpões. Eles usam bicicletas fornecidas pela companhia para irem de um ponto ao outro.

A fábrica opera como uma mini cidade. Lá, cerca de 36 mil funcionários são organizados em três turnos de trabalho.

Este é um número semelhante ao de habitantes de municípios brasileiros inteiros, como Sertânia (TO), Itiúba (BA) e Barra Bonita (SP), de acordo com o levantamento populacional de 2020 do IBGE.

A via que cruza as áreas de produção tem mais de 1 quilômetro. A fábrica de Everett também tem unidades próprias de bombeiros, polícia, clínica médica, estação de energia e tratamento de água.

Ponto turístico

Toda essa grandiosidade fez da sede da Boeing um local que todos os turistas de Washington e Seattle devem conhecer.

A fábrica é aberta para a visitação guiada, mas é proibida a entrada de qualquer objeto: bolsas, celulares, câmeras… Fotografar, portanto, também não é permitido.

Antes da tour, um vídeo de apresentação é exibido. Depois, todos entram num ônibus com destino até a fábrica. A tour passa por três galpões em pleno funcionamento e tem duração de 90 minutos.

O centro Future of Flight tem uma exposição de aeronaves, equipamentos e muita informação histórica. A decoração fica por conta de uma grande exposição de bandeiras de países que contam com aeronaves Boeing.

Há um terraço com visão privilegiada para a fábrica, tornando possível observar a realização de voos testes, operações de carga e a movimentação do Delivery Center, uma espécie de terminal que serve para entregar os aviões aos clientes.

Quem ficar com fome pode escolher entre lanchonetes e restaurantes com o selo da Boeing e com nomes que fazem referência aos aviões da casa, como o The Queen of the Skies Cafe ou o The Dreamliner Diner.

Os visitantes que quiserem levar um souvenir para casa podem ir até a loja de presentes e comprar vários itens exclusivos, inclusive aviões em miniatura.

A empresa diz encorajar seus colaboradores a relaxar nos horários de intervalo. Por isso, a Everett também conta com creche, lavanderia, agência de correios, academia, espaço para ioga e massagens, locadora de DVDs e uma quantidade impressionante de mesas de pingue-pongue: mais de cem!