Boeing 737 MAX
Foto - Divulgação/Boeing

O mais novo problema do Boeing 737 MAX realmente afetou mais aviões, em comparação com os 90 divulgados anteriormente pela fabricante.

De acordo com uma nova informação divulgada pela FAA (Administração Federal de Aviação dos EUA) nesta quinta-feira (22/04), cerca de 106 aviões 737 MAX foram identificados com o problema de aterramento no sistema elétrico.

Anteriormente a FAA divulgou, no final de março, que a Boeing identificou dois problemas principais no problema elétrico do 737 MAX.

O primeiro envolve o isolamento eletromagnético dos componentes do motor, e um segundo problema envolve cabos do sistema de aviônicos da aeronave.

Boeing 737 MAX
Cockpit do 737 MAX 8. Foto – Boeing/Leo Dejillas

Depois recomendação adicional foi publicada para os aviões afetados, solicitando uma inspeção extra dos cabos de aterramento do painel de instrumentos principal da aeronave, onde as quatro telas estão localizadas, bem como no rack que abriga a unidade de energia de stand-by da aeronave.

Como os mecânicos precisam desmontar todo o painel e a parte de energia do cockpit para realizar essas verificações, ou substituir os componentes em caso de defeito detectado, o reparo é mais complexo e pode deixar o avião mais tempo em solo.

Este problema continua sem relação ao sistema MCAS, de acordo com um comunicado anterior da Boeing.

Esse é o terceiro problema revelado pela empresa envolvendo o sistema elétrico da aeronave.