Foto - Divulgação

Requisitos regulatórios adicionais significativos ou atrasos na devolução do 737 MAX aos serviços de voos comerciais podem causar o corte ou a interrupção temporária da produção da aeronave, afirmou a Boeing em uma carta vista pela Reuters na quinta-feira.

A Boeing disse que não espera que uma série de cancelamento de pedidos do 737 MAX devido à paralisação das aeronaves.

Ela citou o tamanho da carteira de pedidos de 737 e a capacidade da administração de mitigar possíveis impactos alterando as datas planejadas de entrega dos clientes, na carta à Comissão de Valores Mobiliários dos EUA.

O 737 MAX, o avião mais vendido da Boeing, está paralisado e impossibilitado de operar em todo o mundo desde março, depois de acidentes na Indonésia e na Etiópia que mataram 346 pessoas em cinco meses.

A Boeing havia dito anteriormente que são possíveis atrasos extras ou um corte na produção, uma vez que os reguladores em todo o mundo avaliam a volta do 737 MAX, incluindo a atualização de software proposta pela Boeing para um subsistema de controle de voo, bem como nos materiais de treinamento para os pilotos.

A Boeing disse no mês passado que esperava que a Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA) permitisse que os aviões retornassem ao serviço em meados de dezembro, embora não esperasse que a agência concluísse sua revisão dos requisitos de treinamento até janeiro.

A Boeing também disse que não espera que a falta de espaço para armazenar os aviões 737 MAX estacionados, que continuam sendo fabricados em Renton, limitaria sua capacidade de continuar a produção.


 

Via – Reuters

DEIXE UMA RESPOSTA