Boeing 787
Foto: Boeing

(Reuters) – A Boeing, fabricante norte-americana de aeronaves, disse que as entregas de sua aeronave 787 Dreamliner serão retomadas ainda neste ano, no segundo semestre.

A fabricante comunicou as companhias aéreas que operam o modelo e também os fornecedores. A retomada das entregas do 787, se une ao crescimento do número de entregas da Boeing para o 737 MAX cooperando para a recuperação pós-pandemia.

A Boeing tem o planejamento aumentar a produção do 787 até mesmo para compensar o tempo sem realizar entregas devido aos problemas na fabricação do avião. A fabricante tem mais de 100 Boeings 787 em processo de revisão e reparos na fábrica.

Com as entregas suspensas desde outubro de 2021, a Boeing tem enfrentado problemas com peças de fabricação do 787 que não estavam de acordo com o padrão de qualidade, algo que foi citado pela empresa como problema de fornecedor terceirizado. 

Em decorrência, a fabricante precisou indenizar clientes como a American Airlines, United e atrasar entregas para a Emirates que contará com o modelo pela primeira vez em sua frota. 

FAA impede Boeing de autocertificar o 787

A Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) anunciou em fevereiro que realizará as inspeções finais no 787 Dreamliner após a descoberta de rachaduras em fuselagens produzidas, impedindo que a Boeing realize a certificação por meios próprios.

A FAA disse que já notificou a Boeing sobre a decisão de que manterá a autoridade na emissão dos certificados de aeronavegabilidade até que o regulador esteja confiante que os processos de qualidade e fabricação da Boeing no 787 atendam aos padrões de design da FAA.

Por outro lado, a empresa anunciou que dará continuidade “em um trabalho transparente através processos detalhados e rigorosos da FAA”.

 

Com informações da Reuters.