Boeing 737 MAX
Cockpit do 737 MAX 8. Foto - Boeing/Leo Dejillas

Cerca de 160 pilotos estão sendo contratados pela Boeing somente para trabalhar em conjunto com as companhias aéreas. Estes devem apoiar todo o processo de instrução e treinamento para o novo 737 MAX, que foi certificado novamente nos últimos dias com novos processos de treinamento.

O salário anual desses pilotos pode chegar a US$ 200.000 de acordo com a seleção de funcionários da Boeing. O custo total por mês do programa de treinamento é de US$ 32 milhões, estima-se.

O período de trabalho, no entanto, é temporário, e a Boeing deve pagar um valor equivalente por este período trabalhado. Nem todos os pilotos serão chamados ao mesmo tempo, e haverá uma contratação por demanda ao longo dos próximos meses, assim que o 737 MAX for retomando a operação de voos comerciais.

Os pilotos devem ter 1000 horas de experiência como instrutor e “nenhum incidente, acidente, perda ou violação” e ser licenciados no 737 e em outros aviões da Boeing.

Considerando a crise atual no mercado de aviação comercial, não deve ser difícil achar pilotos disponíveis para atuar temporariamente como consultores do projeto.

A Boeing também montou uma sala de guerra 24 horas por dia, 7 dias por semana em suas instalações de Seal Beach, Califórnia, onde funcionários usando enormes telas de LCD cuidarão do “monitoramento da frota em tempo real” para “resolução rápida de problemas” em caso de emergência, disseram fontes sobre o plano à Reuters. .

 

Via: Reuters


DEIXE UMA RESPOSTA