Ontem a Boeing fez uma transmissão ao vivo em suas redes sociais exclusivamente para mostrar detalhes do novo 777X, e os testes estáticos estruturais que a aeronave vai passar em breve.

Na linha de montagem final de Everett podemos observar o primeiro 777X montado, que é uma aeronave para ser direcionada aos testes estáticos estruturais, e a segunda aeronave, que já está sendo montada e em breve vai assumir os voos de testes do 777X.

O primeiro avião é apenas estrutural, sem motores e sistemas elétricos, pois ele será usado apenas para os testes de resistência da fuselagem e das asas. Os engenheiros da empresa esperam que a asa flexione mais de 8,1 metros depois de aplicar uma carga uniforme sobre a mesma (valor superior ao do 777 Classic), simulando o peso da aeronave sendo sustentado em voo pelas asas.

O mecanismo de dobra da ponta da asa não foi incluído nesses testes, mas está sendo avaliado em outros procedimentos, em solo.

Com todos os testes em solo, a Boeing elimina várias horas de voo necessárias para certificar o 777X, e acelera a primeira entrega da aeronave. Mas ainda não há previsão divulgada pela Boeing de quando essa aeronave vai para a área de testes estruturais.

A montagem final é feita em Everett, por enquanto em um espaço que a Boeing conseguiu entre a linha de montagem do 777 Classic e do 747-8. A finalidade da Boeing é incorporar o processo de produção híbrida, ao usar o mesmo espaço de produção do 777 Classic para o 777X, a empresa já tentou isso anteriormente, com o Boeing 737 MAX, mas desistiu da ideia, quem incorporou a produção híbrida nessa situação foi a Embraer, mesmo com 70% de diferença entre as gerações dos E-Jets.

A Boeing tem 263 pedidos firmes para as aeronaves da família 777X.

Você pode conferir a transmissão ao vivo no vídeo abaixo, ou Clicando Aqui.

 

Boeing 777X

O Boeing 777X conta com duas opções de aeronaves, a 777-8X é capaz de receber 350 assentos em configuração padrão de duas classes, seu alcance é de até 15000km. Já o 777-9X, a maior variante da família T7 até hoje, será capaz de receber 450 passageiros em uma configuração de duas classes, com autonomia para 13200km de voo.

O novo avião inclui a combinação de “muitas heranças do 777 e do 787”, disse Beezhold. “Fizemos a fuselagem mais larga do que a do -300ER, para assentos mais confortáveis e fileiras com até 10 assentos.”

O novo 777X exigirá menos impulso do que o -300ER porque terá uma asa mais eficiente. E essa asa é bastante longa – a envergadura do 777X chegará a 235 ‘5 “(71,8 metros). Por ser mais amplo do que os gates padrões dos aeroporto, o avião terá uma asa dobrável para reduzir a extensão para 212,7” (67,7 metros) quando em solo.

Beezhold explicou que a Boeing desenvolveu uma asa dobrável para o 777 original, mas provou ser um design excessivamente complicado, pois a parte dobrável incluía um aileron, sendo então arquivado em favor de uma asa tradicional.

O 777X tem uma “asa dobrável muito simples – o acionador da estrutura está totalmente dentro da asa”, disse Beezhold, acrescentando que as companhias aéreas queriam um projeto que exigisse pouca ou nenhuma manutenção especializada.

O 777-8X concorre diretamente com o Airbus A350-1000, enquanto o 777-9X está sozinho em sua classe de aeronave, e irá atingir uma necessidade por maior economia mas sem perder a capacidade de transporte. A primeira entrega está programada para 2020.