A Boeing Company apresentou hoje (30/01) os seus dados financeiros de 2018, incluindo todos os 12 meses do ano.

A empresa apresentou uma receita recorde de US$ 101,1 bilhões para o ano inteiro, de acordo com a Boeing, isso foi resultado do aumento das entregas de aeronaves comerciais, e de um reforço na comercialização de produtos de defesa. Esse valor representou uma alta de 8% em relação ao mesmo período de 2019.

Em compensação o lucro líquido da empresa foi de quase US$ 10,5 bilhões, uma alta de 24% em comparação com o mesmo período de 2017. Neste caso o lucro também foi impulsionado pela nova lei fiscal, implementada em 2018 pelo Governo do Donald Trump.

Foto – Boeing/Reprodução

O fluxo de caixa da empresa ao longo de todo o ano de 2018 foi de US$ 15,3 bilhões no ano todo, refletindo taxas de produção de aviões comerciais planejadas e forte desempenho operacional.

O lucro por ação foi de US$ 17,85, uma alta de 29% em comparação com 2017. A empresa disse que fará em breve os pagamentos de dividendos do 4º trimestre.

O total de pedidos em carteira da empresa no final do trimestre permaneceu relativamente inalterado em US $ 490 bilhões, ou seja, a Boeing espera contar com US$ 490 bilhões em receita nos próximos anos, mesmo que a empresa não faça nenhuma venda em 2019, algo impossível de acontecer.

Para acessar o relatório completo Clique Aqui.

 

Aeronaves comerciais

Foto – Boeing/Reprodução

O grande destaque da Boeing foi o setor de aviação comercial, que até hoje sustenta boa parte da receita da empresa.

Ao todo a fabricante entregou 806 aeronaves em 2018, obtendo uma receita de US$ 60,7 bilhões, alta de apenas 5% em comparação com 2017.

O lucro operacional no mesmo setor foi de US$ 7,8 bilhões, representando uma incrível alta de 45%, em comparação com 2017.

O backlog continua robusto, com quase 5900 aviões que serão fabricados avaliados em US$ 412 bilhões.