Boeing finaliza abril sem novas encomendas e com 108 pedidos cancelados

Foto - Boeing

A Boeing talvez registro no último mês de abril um dos piores da sua história. Assim como todo o setor de aviação, a fabricante norte-americana foi duramente afetada pela crise causada pela pandemia de COVID-19.

Em abril a Boeing entregou apenas seis aviões no mês, sendo quatro 787 Dreamliner, um 777 e um 737 NG. Sua rival, a Airbus, entregou somente 14 aviões em abril, uma queda de 80% em relação à 2019.

No acumulado do ano a empresa entregou apenas 56 aeronaves, uma queda de 67% em comparação com o mesmo período de 2019.

Ao mesmo tempo, a Boeing não recebeu nenhuma encomenda em abril, e teve 108 pedidos para o 737 MAX cancelados no mês.

Um mês antes, em março, a Boeing também não recebeu encomendas de aeronaves, e sofreu com 150 cancelamentos de pedidos para o 737 MAX, inclusive parte de um pedido da GOL Linhas Aéreas.

A baixa produção de aeronaves pode ser explicada pelas várias paralisações em suas unidades de fabricação, devido à rápida disseminação do vírus nos Estados Unidos.

A Boeing já tomou algumas medidas para conter a baixa demanda na produção de aviões para os próximos meses, como tomar empréstimos bilionários, e demitir cerca de 16 mil funcionários.


As encomendas brutas da Boeing no ano até abril somam 49 aviões, com pedidos líquidos negativos de 255 aeronaves, após os cancelamentos.

 

DEIXE UMA RESPOSTA