Boeing garante US$ 25 bilhões em oferta de títulos

Foto - Boeing

A Boeing conseguiu levantar US$ 25 bilhões em uma oferta de títulos nesta última quinta-feira (30/04), no que a fabricante considerou um resultado extraordinário.

A meta da Boeing é evitar depender de ajuda do governo norte-americano, que já declarou ter separado US$ 60 bilhões para a Boeing. A perspectiva da Boeing era levantar entre US$ 10 a 15 bilhões na oferta de títulos ao mercado privado.

A demanda alta pelos títulos foi atiçada por altos rendimentos em relação a outras emissões de títulos da Boeing, relatório de lucros da Boeing na quarta-feira e provisões na oferta que protegem os investidores em caso de rebaixamento da classificação de crédito para status de lixo.

O valor deve ajudar a Boeing na sua reestruturação após a crise, bem como resolver problemas já pendentes, como a nova certificação do 737 MAX, e no apoio à certificação do 777X.

Ao mesmo tempo a Boeing prevê uma menor demanda por novas aeronaves após a crise, e precisará reestruturar as suas operações, bem como demitir trabalhadores. Cortes na produção já foram anunciados.

“Como resultado da resposta, e até o fechamento desta transação, previsto para segunda-feira, 4 de maio, não planejamos buscar financiamento adicional através do mercado de capitais ou das opções do governo dos EUA no momento”, afirmou a Boeing em comunicado.

“Continuaremos a avaliar nossa posição de liquidez à medida que a crise da saúde e nosso ambiente dinâmico de negócios evoluírem”, acrescentou a empresa.


A agência de classificação de crédito Moody’s Investors Service Inc estimou este mês que as necessidades de financiamento da Boeing poderiam chegar a US$ 30 bilhões em 2020. A empresa garantiu cerca de metade disso com uma linha de crédito de US$ 13,8 bilhões em março, informou a Moody’s.

 

DEIXE UMA RESPOSTA