A Boeing instalou o motor GE9X, fabricado pela GE Aviation, no primeiro protótipo de voo do projeto 777X.

Os dois motores GE9X foram instalados na aeronave de testes, que voará pela primeira vez neste ano, provavelmente ainda no primeiro trimestre. A GE destaca que esse é o maior turbofan produzido e em funcionamento no mundo, com cerca de 3,4 metros de diâmetro na parte frontal.

Apesar de ser o maior em diâmetro, o GE9X não é o mais potente, posto que continua com o GE-90-115B, que tem 115 mil lbs de empuxo, enquanto o GE9X fornece 105 mil lbs de empuxo.

Foto – GE Aviation

Entre as características de destaque do novo motor está o fan frontal, feito com uma nova geração de materiais compostos, uma nova câmara de combustão TAPS III, melhor do que a usada nos motores GEnx, e materiais CMC na turbina e na área de combustão.

Enquanto isso a GE segue com os testes do GE9X em voo, utilizando um Boeing 747-400. A GE afirma que mais da metade do cronograma de certificação do GE9X foi concluído, e que até meados de 2019 a FAA (Federal Aviation Administration) deve emitir o certificado do motor.

A fabricante ainda precisa fazer testes mais severos, como a ingestão de aves e granizo em voo e resistência operacional (sobrecarregando o motor de ciclos).

A montagem dos grandes componentes estruturais do 777-9X foi realizada em Everett, Washington, no mesmo local de produção do atual 777. Boa parte do sistema de produção precisou ser modificado, devido ao novo ferramental de produção e aos componentes produzidos com maior quantidade de material composto.

Ao todo a fuselagem do novo 777-9X tem aproximadamente 77 metros de comprimento, é o jato de passageiros mais longo já produzido pela Boeing.

A Boeing disse que o avião proporciona um consumo de combustível 12% menor e custos operacionais 10% menores do que os aviões concorrentes.

O primeiro voo desse 777X está previsto para 2019. E a primeira entrega de uma aeronave de série está prevista para 2020.

 

Cliente de estreia

A Emirates se firmou como a cliente de lançamento do Boeing 777-9X, a nova geração do consagrado wide-body da fabricante americana. Anteriormente a companhia que se comprometeu com o lançamento desta aeronave era a Lufthansa, que pretende substituir os seus 747 mais velhos pela nova geração do maior wide-body de um andar do mundo.

Além de ser a cliente de lançamento a Emirates se destaca por ter a maior encomenda para a família 777X, com 150 aeronaves encomendadas, sendo 115 do modelo 777-9X. Isso significa quase metade das encomendas recebidas pela Boeing até o momento, para a família 777X.

 

Boeing 777X

O Boeing 777X conta com duas opções de aeronaves, a 777-8X é capaz de receber 350 assentos em configuração padrão de duas classes, seu alcance é de até 15000km. Já o 777-9X, a maior variante da família T7 até hoje, será capaz de receber 450 passageiros em uma configuração de duas classes, com autonomia para 13200km de voo.

O novo avião inclui a combinação de “muitas heranças do 777 e do 787”, disse Beezhold. “Fizemos a fuselagem mais larga do que a do -300ER, para assentos mais confortáveis e fileiras com até 10 assentos.”

O novo 777X exigirá menos impulso do que o -300ER porque terá uma asa mais eficiente. E essa asa é bastante longa – a envergadura do 777X chegará a 235 ‘5 “(71,8 metros). Por ser mais amplo do que os gates padrões dos aeroporto, o avião terá uma asa dobrável para reduzir a extensão para 212,7” (67,7 metros) quando em solo.

Beezhold explicou que a Boeing desenvolveu uma asa dobrável para o 777 original, mas provou ser um design excessivamente complicado, pois a parte dobrável incluía um aileron, sendo então arquivado em favor de uma asa tradicional.

O 777X tem uma “asa dobrável muito simples – o acionador da estrutura está totalmente dentro da asa”, disse Beezhold, acrescentando que as companhias aéreas queriam um projeto que exigisse pouca ou nenhuma manutenção especializada.

O 777-8X concorre diretamente com o Airbus A350-1000, enquanto o 777-9X está sozinho em sua classe de aeronave, e irá atingir uma necessidade por maior economia mas sem perder a capacidade de transporte. Até a data, o 777X acumulou 320 pedidos fixos e compromissos de seis clientes no mundo inteiro. A primeira entrega está programada para 2020.