Arte digital do novo VC-25B, "Força Aérea Um". Via Air Force Magazine.

A Boeing afirmou na quinta-feira (08) que cancelou contratos e está processando a GDC Technics, um subcontratada que deveria realizar serviços nos dois 747-8 que serão os novos VC-25, chamados de Força Aérea Um. 

Em comunicado, a fabricante de Seattle disse que cancelou os contratos com a fornecedora sediada no Texas, “devido à sua insolvência e ao não cumprimento das obrigações contratuais”. A GDC não respondeu pedidos de comentários, disse a Reuters

A Boeing disse em sua ação, movida no tribunal estadual do Texas na quarta-feira (07), que os atrasos “resultaram em milhões de dólares em danos à Boeing e ameaçam colocar em risco trabalhos de importância crítica para a Força Aérea dos Estados Unidos e o presidente dos Estados Unidos.” A USAF encaminhou questionamentos à fabricante. 

Em julho de 2018 a Boeing foi contratada por US$ 3,9 bilhões para fabricar dois 747-8 para serem usados como o novo avião presidencial dos EUA, com previsão de entrega para 2024.
 
A GDC, que “concordou em projetar e construir o interior” dos dois aviões do Força Aérea Um, está “cerca de um ano atrasada no cumprimento de suas obrigações contratuais”, disse a Boeing em seu processo relatado pela primeira vez pela emissora KXAS-TV, afiliada da Dallas NBC.
VC-25A Air Force One. Foto: USAF

Em 2018, o então presidente Donald Trump disse que o novo modelo do Força Aérea Um teria seus interiores atualizados e um esquema de cores diferente do branco e dois tons de azul que têm sido usados ​​desde a administração do presidente John F. Kennedy.

Em janeiro, a porta-voz da Casa Branca Jen Psaki disse que o presidente Joe Biden “não passou um momento pensando no esquema de cores do Força Aérea Um.”

Leia mais sobre o Força Aérea Um.