Boeing 787

A Boeing espera retomar em breve a taxa de produção mensal do 787 próximo aos níveis de antes da pandemia em 2019. A fabricante norte-americana quer voltar a produzir na média 14 aeronaves por mês segundo o seu CEO. 

O CEO da Boeing, Dave Calhoun, analisou durante uma conferência que a fabricante tem condições de retomar a taxa de produção anterior à pandemia. Atualmente a Boeing produz cerca de cinco 787s ao mês, a baixa taxa também está atrelado ao mercado que ainda apresenta uma recuperação gradativa. 

“A resposta é sim. Você não vai de cinco para esse número durante a noite. Você chega lá em incrementos. Temos bastante tempo de ciclo para preparar esses incrementos de forma adequada, reconfigurar o fluxo de aviões através das fábricas de forma que possamos acomodar essas taxas ”. Disse Dave Calhoun.

Calhoun acredita que um dos maiores desafios para a Boeing seja a quantidade de aeronaves entregues mensalmente. As entregas do 787 dependem da companhia aérea aceitar a entrega dentro das avaliações de mercado e demanda, visto que atualmente diversas empresas estão readequando suas malhas e frotas.

As entregas também foram afetas devido a problemas no 787, alguns deles precisaram de mais tempo para serem corrigidos. Até agora em 2021, a Boeing entregou 11 aeronaves do tipo, ante 53 no ano passado. Importante ressaltar que a partir de agora a fabricante não terá mais a fábrica em Everett.

Agora somente a fábrica na Carolina do Sul vai produzir aeronaves da família 787.

 

 

Fonte: Aerotime