Boeing 737 MAX 10

A Boeing voltou a realizar testes com sua nova e maior aeronave da família 737, o MAX 10, que ainda não realizou nenhum voo de teste. A aeronave de matrícula N27751, até o momento é a única fabricada, o modelo recebeu mais de 550 pedidos até agora incluindo para a brasileira GOL. 

O Boeing 737 MAX 10 realizou nesta semana testes de taxiamento com velocidades baixas e altas. As baterias de testes em solo são parte do processo de certificação de uma nova aeronave, para que tudo esteja dentro do padrão e funcione de forma correta. O novo 737 MAX já virá com as atualizações do pacote de recertificação de 2020. 

Com as entregas atrasadas, a Boeing irá entregar o primeiro exemplar somente em 2023, com três anos de atraso em relação ao cronograma inicial. Os atrasos em boa parte foram em decorrência da suspensão de voos que o modelo enfrentou entre 2019 e 2020 em todo o mundo.

O primeiro voo do 737 MAX 10 pode estar próximo de acontecer, pois os testes de táxi são geralmente os últimos a serem realizados antes de ocorrer os voos. A United Airlines deverá ser o cliente lançador, a empresa norte-americana tem encomenda para 100 aeronaves do tipo.

Boeing 737 MAX 10

Para criar o 737 MAX 10 a Boeing acrescentou mais uma seção e meia na fuselagem do 737 MAX 9, aumentando o tamanho do avião em 1,68 metros, dessa forma a capacidade máxima da aeronave saltará de 220 passageiros para 230.

Uma leve alteração no trem de pouso foi realizada, para evitar o tail strike nos procedimentos de decolagem e pouso. A altura será ampliada através de uma alteração no amortecedor da aeronave, permitindo manter o mesmo compartimento do trem de pouso das outras versões.

Alterações no trem de pouso

A Boeing estudou vários tipos de alterações no trem de pouso, devido a baixa altura do 737 MAX, e acabou optando por um novo design da alavanca de acionamento e que guia o sistema de amortecimento, que agora se estende 241 mm no total. Ela é capaz de oferecer o curso total de suspensão que o 737 MAX 10 precisa, e recuar o mesmo para manter o mesmo compartimento do 737 MAX 8 e 9.

A inspiração dos engenheiros foi o 777-300, que tem um curso maior de suspensão. Muitos elementos de design do jato maior foram estudados pelos engenheiros da Boeing, até criar essa solução.