Foto U.S. Navy/Reprodução

A Boeing recebeu um contrato para modernizar a frota F/A-18 da Marinha dos EUA, estendendo a vida dos Super Hornets existentes entre 6.000 a 9.000 horas de vôo.

No início dos anos 2020, a Boeing começará a instalar atualizações iniciais para a aeronave que converterá os Super Hornets do bloco II existentes, em uma nova configuração chamada bloco III.

A conversão do bloco III incluirá capacidade de rede (comunicação) melhorada, maior alcance com os mesmos tanques de combustível, um sistema avançado de cockpit e como citado anteriormente, um sistema de comunicação aprimorado. Espera-se que as atualizações mantenham o F/A-18 ativo para as próximas décadas.

“O foco inicial deste programa ampliará a vida da frota entre 6000 a 9000 horas de voo”, disse Mark Sears, diretor do programa da SLM. “Mas o SLM também incluirá a conversão do bloco II para o III, manutenção de sistemas e restauração da aeronave, destinadas a fornecer uma aeronave com maior disponibilidade de serviço, com uma vida prolongada e maior capacidade. Cada um destes jatos voará por mais 10 a 15 anos”.

O contrato inicial tem um valor de US $ 73 milhões. As modificações começam já em abril, com quatro aeronaves sendo direcionadas para o centro de produção de Boeing St. Louis. Uma linha de atualização adicional será estabelecida em San Antonio, Texas, em 2019.

O diretor da U.S. Navy afirmou que mais contratos podem ser realizados no futuro, visto que a frota da Marinha Norte-Americana tem 568 caças F/A-18 Super Hornet.