Foto - Divulgação

Em uma mensagem trocada pela Boeing, a empresa deveria conceder US$ 1 milhão de desconto por avião à Southwest caso os pilotos da companhia precisassem de um treinamento completo ao migrar do 737 NG para o MAX.

O problema é que a Southwest encomendou 280 aviões 737 MAX.

E além dos prejuízos que a Boeing já acumula pelo 737 MAX, incluindo as compensações, produção de aeronaves sem entrega, gasto com re-certificação da aeronave, e pagamento de funcionários, a companhia pode sofrer um prejuízo ainda maior, devido a necessidade do treinamento adicional.

Uma informação publicada pela Bloomberg aponta que a Boeing precisará pagar 5,6 bilhões de dólares às clientes do 737 MAX, devido a necessidade de um treinamento completo de transição entre o NG e o MAX.

Cockpit do 737 MAX 8. Foto – Boeing/Leo Dejillas

Atualmente, existem 34 simuladores de voo do 737 MAX certificados em todo o mundo, e a Boeing precisará encomendar mais deles, para atender as companhias aéreas. A GOL já encomendou um.

A capacitação dos pilotos em simuladores específicos, projetados para replicar cenários de emergência, adicionará outro obstáculo às companhias aéreas, que já enfrentam grandes perdas, e poderá resultar em maior atraso no retorno do 737 MAX aos voos comerciais.

Anteriormente os pilotos podiam treinar para o 737 MAX em simuladores do 737 NG, porém usando procedimentos do 737 MAX. Mas nos testes, que faziam parte do trabalho envolvido na avaliação da atualização do novo software, muitos dos pilotos não usaram os procedimentos corretos para lidar com emergências a bordo com características do MAX, em vez disso, eles atuaram com base em suas habilidades já treinadas para o 737 NG.


 

Anteriormente, em nota ao PORTAL AEROFLAP, a Boeing disse:

A Boeing recomenda que todos os pilotos do 737 MAX recebam treinamento no simulador do MAX, além de treinamento em computador, antes da retomada da operação da aeronave. Esta recomendação leva em consideração nosso compromisso incansável com a segurança, bem como as alterações que foram efetuadas no avião e os resultados dos testes realizados. A decisão final cabe às agências reguladoras.

“A segurança é a principal prioridade da Boeing. A confiança do público, dos clientes e demais stakeholders no 737 MAX é extremamente importante para nós.  Tendo isto em mente, a Boeing decidiu recomendar o treinamento no simulador do MAX, além do treinamento em computador para todos os pilotos antes da retomada da operação com segurança” – Greg Smith, CEO interino

 

DEIXE UMA RESPOSTA