Foto - Boeing/Reprodução

Após declarar que manteria a produção do 737 MAX, apesar da suspensão das entregas, a Boeing declarou nesta última sexta-feira (05/05) que estaria planejando reduzir a produção mensal em 20%, enquanto não consegue retomar as entregas do 737 MAX.

A primeira redução da produção deve ser em meados desse mês, de 52 aviões para cerca de 42 aviões ao mês, isso diminuirá a necessidade da Boeing de espaço para estocar aeronaves enquanto não consegue realizar as entregas, e também vai diminuir o gasto com a produção de componentes.

Não há prazo para a normalização da produção, mas elas só deverá ocorrer após a autorização de retomada dos voos comerciais com o 737 MAX.

A Boeing ressaltou que vai manter os empregos durante esse período, e que trabalha para entregar nas próximas semanas uma atualização de software para o sistema MCAS do 737 MAX.

As ações da Boeing fecharam em queda de cerca de 4% nesta sexta-feira.