KC-46 USAF
KC-46A Pegasus. Foto: Boeing.

Após entregar 11 KC-46A Pegasus a USAF e entregar mais 18 aeronaves no segundo semestre deste ano a Boeing vê com bons olhos as vendas do avião-tanque KC-46A, inclusive em cenário internacional.

“Estamos nos movendo e trabalhando de perto com o cliente nessas entregas”, diz ele. “O feedback é positivo dos operadores”, diz o vice-presidente da Boeing, Jeff Shockey.

Sobre os problemas enfrentados que causaram atrasos nas entregas do avião à USAF, Shockey, disse: “Você leu sobre alguns dos problemas que tivemos no KC-46A com FOD”, diz ele. “Isso é algo que nos embaraça e realmente nos faz querer entender tudo o que precisamos fazer como uma empresa para executar melhor para nossos clientes. É muito humilhante quando temos um tropeço assim em um programa realmente importante”.

KC-46 Foto – Boeing/Divulgação

Segundo ele há uma possibilidade de negociação de seis oportunidades de vendas globais da KC-46A para até 20 aeronaves do KC-46A. As nações que receberiam o Boeing 767 modificado para missões de Revo seriam a Indonésia, Israel, Emirados Árabes Unidos, Catar, OTAN, Noruega e Japão. O país asiático dentre estes é o que está certo, tanto que já fez encomendas da aeronave.

Os testes e missões com o KC-46A mostram que a aeornave está pronta para servir de auxulio a maioria dos caças hoje, incluindo os novos e bem vendidos F-35. Em fevereiro foi feito o primeiro Revo entre eum KC-46A e um caça F-35 da USAF. Isso certamente é um bom marketing uma fez que algumas nações listadas acima estão recebendo caças stealhs F-35A.

KC-46A Pegasus realiza primeiro reabastecimento em caça F-35 Lighting II- Foto: U.s Airforce

O vice-presidente a fabricante norte-americana também comentou que há potencial para vender 10 novas plataformas E-7 AEW & C (Um Boeing 737-700 modificado para Alerta antecipado e controle aerotransportado), isso em caráter internacional.

E-7 com o esquema de pintura da RAF- Foto: Crown / UK MoD

“Temos interesse de vários países sobre os quais não tenho liberdade de falar. Parece haver um ressurgimento no E-7”. Um dos país que demonstrou interesse foi a Coreia do Sul que já opera esses aviões, mas compraria mais unidades para compor a frota. O Catar ano passado demonstrou interesse nas aeronaves, mas nada está 100% confirmado.

Fonte de apoio: Flight Global / Ataptação: Aeroflap